terça-feira, 11 maio , 2021

Fuja de extremos. Não seja abraçado por monstros alheios.

- e tem gente que fala alto, agride, bate (coisas tão comuns nos tempos atuais), mas, na verdade, apenas aprenderam a usar dessas “armas” simbólicas e, muitas vezes reais (6 armas por pessoa, né!), para tentar se proteger. Nesses casos, costuma existir um medo devastador, constante e persecutório que mantém a pessoa pronta para atacar e destruir qualquer coisa que se aproxime. São pessoas que veem inimigos por todos lado. Os valentões, na maioria das vezes, sentem muito, muito medo. É tanto medo que acham que precisam destruir quem sentem que os ameaça.

Mãe que mora na rua transforma calçada em um lar para...

Há cerca de três anos, Ana Paula Rodrigues Gama, de 46 anos de idade, vive nas ruas com as duas filhas, Gabriela de oito anos, e Tainá de seis. E mesmo vivendo nas condições mais adversas, ela consegue encontrar resiliência. Com capricho e dedicação, ela fez da calçada um lar para as suas pequenas.

“O mundo está ao contrário e ninguém reparou”

Nesse episódio, discutimos sobre o chamado "Racismo Reverso", tema que deu o que falar nas redes sociais nesta semana. Além disso, trocamos dicas sobre filmes incríveis e influencers no Instagram que espalham arte, bom humor e leveza em dias tão tensos. Se o Titanic está afundando, estamos aqui acompanhando a banda tocar! Que a arte nos salve da vida!

PODERIA TER SIDO TÃO DIFERENTE , por Fabrício Carpinejar

Fabrício Carpinejar faz emocionante reflexão sobre como as coisas poderiam ter sido, caso Nego Di tivesse sido uma pessoa melhor.

Existe Racismo no Brasil? | Leandro Karnal

O vídeo mais didático sobre o assunto que eu ja vi. Recomendo!

O que precisa ser dito sobre “Racismo Reverso”

O que é preciso urgentemente ser dito sobre o "racismo reverso", assunto que voltou a ser pauta de discussões devido a situações explicitadas no BBB21.

COMO COSTUMAM SER FRÁGEIS OS DONOS DA RAZÃO

"Se antes valia pelo menos o discurso “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”, (que mostrava a hipocrisia de quem sabia que, mesmo que se fizesse algo diferente, havia uma outra maneira de pensar e agir) agora o que existe é uma legitimação de um exército de pessoas que foram agrupadas em suas fraquezas humanas, adquiriram proporções monstruosamente estereotipadas e hoje têm nomes de partidos, teorias pouco prováveis ou mesmo causas nobres, mas que são usadas de maneira deturpada. " Josie Conti

Jogar é perder, por Fabrício Carpinejar

Eu até diria que a maior aventura da audiência é a deliciosa monotonia de quem é verdadeiro.

Pela segunda vez em poucos dias, Padre Julio Lancellotti denuncia arquitetura...

Em postagem realizada no Instagram no último no dia 08-02, o padre Julio Lancellotti reitera a sua crítica a arquitetura higienista aplicada em grandes cidades que, ao invés de resolver questões relacionados às pessoas que vivem em situação de rua, apela para a expulsão física de seus corpos tornando inviáveis os locais antes utilizados por essas pessoas como abrigos improvisados.

Padre Júlio espalha flores em local onde prefeitura pôs pedras para...

“Nós queremos flores, e não pedras. Nós queremos uma cidade humana, e não uma cidade empedernida e empedrada”, disse o padre Júlio Lancellotti.

Mudar de verdade, por Fabrício Carpinejar

"O comportamento de fachada só dura até o próximo veneno. É fácil perceber quando a reparação vem do orgulho ou do coração." Fabrício Carpinejar

PAREDÃO: o que Fabrício Carpinejar tem para dizer sobre isso

"Sou favorável ao cancelamento. Temos que cancelar o ódio gratuito. Temos que cancelar a carteirada, a arrogância de se achar melhor do que o outro. Temos que cancelar a mania de dizer que o colega é louco para neutralizar a divergência." Fabrício Carpinejar

“Já ficamos um ano sem aula. Mais um é inaceitável”, alertam...

"Já ficamos um ano sem escola, mais um é inaceitável. Principalmente se a gente pensar nas crianças vulneráveis, porque em casa não tem estrutura pra aprender, os pais não conseguem ajudar, não tem com quem deixar, como alimentar, a escola tem que estar lá, não dá mais para esperar”, disse a pediatra Ana Escobar.

“Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é...

"Essa é uma oportunidade para mostrar, na prática, como a violência emocional é passada de geração em geração, e como acabamos perpetuando atitudes abusivas na educação."- Telma Abrahão