terça-feira, 12 novembro , 2019

“Gosto quando te calas”, um sublime poema de Pablo Neruda

Gosto quando te calas porque estás como ausente, e me ouves de longe, minha voz não te toca.

Mia Couto em três apaixonantes poemas de amor

O Amor, Meu AmorNosso amor é impuro como impura é a luz e a água e tudo quanto nasce e vive além do tempo.Minhas pernas são água, as...

“Teu riso”, um poema de Pablo Neruda capaz de tirar o...

Tira-me o pão, se quiseres,/ tira-me o ar, mas não/ me tires o teu riso.

“Alta tensão”, um intenso poema de Bruna Lombardi

Alta Tensãoeu gosto dos venenos mais lentos dos cafés mais amargos das bebidas mais fortes e tenho apetites vorazes uns rapazes que vejo passar eu sonho os delírios mais soltos e os gestos mais...

Poema do Milho- Cora Coralina

Poema do MilhoMilho . .. Punhado plantado nos quintais. Talhões fechados pelas roças. Entremeado nas lavouras, Baliza marcante nas divisas. Milho verde. Milho seco . Bem granado, cor de ouro. Alvo....

Então queres ser um escritor? (Poema de Bukowski)

se não sai de ti a explodir apesar de tudo, não o faças. a menos que saia sem perguntar do teu coração, da tua cabeça, da tua boca das...

Reinvenção

A vida só é possível reinventada.Anda o sol pelas campinas e passeia a mão dourada pelas águas, pelas folhas. . . Ah! tudo bolhas que vêm de fundas piscinas de...

“Eu não vou perturbar a paz”, um singelo poema de Manoel...

De tarde um homem tem esperanças. Está sozinho, possui um banco. De tarde um homem sorri. Se eu me sentasse a seu lado Saberia de seus mistérios Ouviria até...

Magia negra, um intrigante poema de Sérgio Vaz

Não é de hoje que as palavras negro e preto são utilizadas com conotações negativas ou mesmo pejojativas. Expressões como "A coisa tá preta", "Mercado...

Eu sou do tamanho do que vejo- Alberto Caeiro

Alberto Caeiro foi uma personagem ficcional (heterônimo) criada por Fernando Pessoa, sendo considerado o Mestre Ingenuo dos restantes heterônimos (Álvaro de Campos e Ricardo...

5 poemas extraordinários do moçambicano José Craveirinha

Todo o poeta quando preso é um refugiado livre no universo de cada coração na rua.

O Pequeno Príncipe Preto, por Marcelo Serralva

O pequeno príncipe chegou montado em seu cavalo preto.

A boneca de Anita

A boneca de Anita  A boneca de Anitamorava em uma janelaacordava com o Solque girava em torno dela A bonequinha  cantavauma musiquinha antigauma valsa em três...

Moça do laço de fita

Moça do laço de fita  Um homem  fez seu sapatode veludo com marfimvestiu-se em pele bem finabanhou-se em flor  de  jasmim Saiu pela rua escuracom seu...