Minha vida sem você

Minha vida sem você algumas vezes é solitária. Sinto falta dos carinhos não dados, dos sonhos roubados, dos risos a serem compartilhados e de você perguntar como foi o meu dia.

Minha vida sem você algumas vezes é solitária. Sinto falta dos carinhos não dados, dos sonhos roubados, dos risos a serem compartilhados e de você perguntar como foi o meu dia.

Minha vida sem você é alegre, pois me pego descobrindo coisas novas, encontro um “eu” desconhecido, faço amizades aleatórias e frequento lugares que nunca havia pensado em ir.

Minha vida sem você é cair no mar de novas experiências, é bater nas rochas das coisas que não são para ser, é aprender que nem tudo merece ser experimentado, é saber que nem todas as pessoas são para ficar, é aprender a ficar bem quando a gente acha que uma parte nos falta.

Minha vida sem você é a sabedoria de não me amargurar, de não ter medo e de acreditar num futuro, e principalmente no presente. É não projetar no outro a vontade que eu tenho de estar com você. O outro não tem nada a ver com isso e muitas vezes estará ali como num museu, apenas a olhar e não tocar.

Minha vida sem você é trabalhar a restrição emocional, é fazer sem antes ser, é jogar a caixa registradora fora e entregar sem cobrar, é estar disponível e também saber estar indisponível, é saber amar me amando primeiro.

Minha vida sem você é loucura, é planejar uma viagem sem destino, é não saber o amanhã, é tentar encontrar o ideal mesmo sabendo que o ideal não existe.

Minha vida sem você é parar de exigir que me completem, é parar de me apaixonar a cada esquina por uma pessoa que nunca vai querer me conhecer, é deixar de me levar apenas pela beleza e um sorriso bonito, é ganhar maturidade em espírito, é falar “tudo bem” aos problemas que criei.

Minha vida sem você é dizer não às perguntas dos meus familiares, é aparecer em mais uma festa de mãos vazias, é ver fugir de filmes românticos, é não tocar aquela playlist carente.

Minha vida sem você é saber que terei momentos de carências, é saber que em alguns momentos vou querer beber para esquecer, é não ligar para aqueles sentimentos de falta, é saber que eu posso esperar e você não chegar.

Minha vida sem você é escrever um livro, é plantar uma arvore, é fazer um retiro, é descobrir o que tenho feito para te afastar de mim e não culpar ninguém por isso, é meditar e relaxar nas minhas imperfeições.

Minha vida sem você é igual a qualquer vida, momentos bons e outros não tão bons, momentos de segurança e outros que duvido até de minha sombra, momentos de sonhos, momentos de ansiedade pelo que ainda não chegou, momentos de solidão pelo que já partiu, momentos de sabedoria e autoconhecimento abundantes.

Engana-se quem acha tudo triste, triste é viver sem ao menos sentir.

“Minha vida sem você” é uma vida que a qualquer momento poderia ser “minha vida com você”, pois é uma vida de amor.

Parafraseando Mario Quintana: amar é dar corda ao relógio do mundo.

Imagem de capa: LeventeGyori/shutterstock

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Virgilio Magalde
Engenheiro de Formação, que largou o mundo corporativo para seguir o sonho de ser professor na área. Filósofo, escritor e poeta de coração. Atualmente desenvolvendo o hábito de ser blogueiro. Possui formação em coaching e se interessa sobre assuntos de desenvolvimento pessoal, relacionamentos, meditação, espiritualidade e demais explicações sobre o que vemos e sentimos.