Pessoas que leem são mais felizes, afirma nova pesquisa

O aumento do relaxamento e os efeitos positivos da leitura podem ser os motivos pelos quais os leitores se sentem mais felizes do que aqueles que leem com menos frequência ou não o fazem.

REDAÇÃO CONTI outra

A leitura de um bom livro pode ser uma experiência transformadora. Quem lê, se diverte, se emociona, viaja a diversos países, conhece diferentes culturas, dialoga com os mais importantes pensadores da história da humanidade, é levado à reflexão. E, além de tudo isso, a leitura ainda faz as pessoas mais felizes. Pelo menos é o que dizem os resultados de uma pesquisa encomendada pelo Kindle (plataforma de leitura da Amazon) e conduzida pela consultoria Kelton Global em 13 países, com 27.305 participantes. A pesquisa revela ainda que ler pode nos ajudar a nos conectar uns com os outros e melhorar nossos relacionamentos.

De acordo com a pesquisa, 71% dos leitores semanais dizem que se sentem mais felizes, em comparação com 55% dos outros leitores. O aumento do relaxamento e os efeitos positivos da leitura podem ser os motivos pelos quais os leitores se sentem mais felizes do que aqueles que leem com menos frequência ou não o fazem.

Outra informação interessante revelada pela pesquisa é a de que é comum que as pessoas cancelem planos ou atividades sociais para dedicar tempo para a leitura: mais de 70% dos participantes admitem ter escolhido um livro ao invés de sair de casa.

No quesito relacionamentos, a pesquisa mostra que leitores usam livros para estimular conversas significativas e criar conexões mais profundas com outras pessoas. Mais de 80% credita à leitura melhoras em seus relacionamentos e 81% ficam ansiosos em discutir pelo menos um aspecto de algum livro com outras pessoas.

Em relacionamentos amorosos, mais de 65% dos entrevistados em todo o mundo concordam que a leitura é um hábito que gera atração e 41% dos casais globais dizem que discutir livros foi uma das coisas que os fizeram se apaixonar. E a importância vai além, com quase 30% dos leitores casados ou em um relacionamento dizendo que questionariam sua relação com base nos tipos de livros ou gêneros escolhidos por seu parceiro. Além disso, quase 29% dos entrevistados afirmaram que questionariam seu relacionamento caso o parceiro não fosse um leitor.


As pessoas também estão querendo dedicar mais tempo à leitura, com quase metade dos participantes (45%) afirmando que estabeleceram como meta de desenvolvimento pessoal para este ano ter o hábito de ler mais livros. Por sinal, o objetivo de dedicar-se à leitura é superior ao desejo de perder peso em países como Brasil, China, Índia e México.

É provável que os resultados da pesquisa apenas tenham comprovado algo que você já sabia: ler é uma prática maravilhosa que podem trazer inúmeros benefícios! De qualquer maneira, os dados podem ser úteis para te abastecer com argumentos para convencer alguém a começar a ler um livro.

Estamos curiosos para saber, que livro tem te feito mais feliz hoje?

***

Redação CONTI outra. Com informações de Revista Galileu

Imagem de Jill Wellington por Pixabay

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.