O Reino Unido proibiu a venda de cachorros e gatos em lojas

Várias pesquisas públicas realizadas anteriormente mostram que 95% da população é a favor dessa lei, que será implementada em 2019, segundo o governo.

CONTI outra

O governo britânico anunciou que proibirá as lojas de animais de vender filhotes de cães e gatinhos com menos de seis meses para impedir a exploração e maus-tratos de animais de estimação.

Aqueles que querem comprar ou adotar um filhote ou um gatinho com menos de seis meses devem ir diretamente a um criador ou a um abrigo” , disse o Departamento de Meio Ambiente, Alimentos e Assuntos Rurais (Defra).

Várias pesquisas públicas realizadas anteriormente mostram que 95% da população é a favor dessa lei, que será implementada em 2019, segundo o governo.

Ela é chamada de lei de Lucy, a lei de Lucy , é em honra de um filhote de cachorro da raça Cavalier King Charles Spaniel, resgatado de uma “fazenda filhote de cachorro” no País de Gales em 2013.

A cadela passou a maior parte de sua vida em uma jaula, e seus quadris se fundiram devido à falta de exercício .

Uma mulher, Lisa Garner, levou-a para sua casa e sensibilizou seus concidadãos, via redes sociais, sobre o abuso de animais.

Um dos objetivos desta nova lei é “acabar com as terríveis condições de filhotes nas fazendas”, além disso, as lojas de animais só serão autorizadas a lidar com abrigos que respeitem o bem-estar animal ou diretamente com os incubatórios.

Estima-se que 49% da população do Reino Unido tem pelo menos um animal, com 11,1 milhões de gatos, 8,9 milhões de cães, e um milhão de coelhos.

Tradução feita pela CONTI outra, do original de InfoBae

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.