Mulher encontra ‘louva-a-deus’ tão bonito que quase parece ser perfeito demais para ser real

“Ela passou o mês inteiro de Setembro vivendo na minha lavanda”, disse Neville. “Ela ainda está lá.”

CONTI outra

Essa é a segunda vez que falamos de um louva-a-deus só nessa semana. A primeira vez foi quando publicamos uma matéria sobre o fabuloso Louva-a-deus orquídia (VALE CLICAR E VER TAMBÉM). Hoje, vamos contar a história de Margaret Neville que, enquanto passeava pelo jardim de sua fazenda que ficam em Kutu Valley, KwaZulu Natal, África do Sul, encontrou algo que chamou a atenção:

Lá, em um galho do seu arbusto de lavanda, havia um inseto diferente de todos os que ela já havia visto antes: “Fiquei impressionada à primeira vista”, disse Margaret

O louva-a-deus possuía asas brancas e verdes além de um elegante redemoinho. Já o resto do corpo estava adornado com pequenas estruturas roxas em forma de flores.

Como explicado na matéria que fala do louva-deus-orquídea, esse inseto possui uma capacidade de imitar o ambiente em que vive para ficar igual as flores e, assim, disfarçar-se tanto para caçar quanto para proteger-se de predadores.

No caso do louva-a-deus encontrado por Margaret, por exemplo, ele estava vivendo em um canteiro de lavandas.

Neville ficou tão apaixonada pelo belo inseto que lhe deu um nome: Miss Frilly Pants.

“Ela passou o mês inteiro de Setembro vivendo na minha lavanda”, disse Neville. “Ela ainda está lá.”

Recentemente, Neville viu Miss Frilly na companhia de um pretendente:

E a perspectiva disso é suficiente para se ficar agradecido:

“Que benção”, disse Neville.

Abaixo, o vídeo Miss Frilly Pants:

A história e a entrevista com Margaret foram publicados pelo site The Dodo. E também publicada no seu facebook.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.