Mulher africana dança de alegria e gratidão ao ganhar primeiro par de sapatos

“Quando vi a mulher na beira da estrada descalça, pedi ao motorista que parasse. A mulher estava descalça e nunca possuíra sapatos antes ”, disse Grier. No segundo em que o motorista terminou de amarrar os cadarços do primeira par de tênis que ela calçava, a mulher se sentiu tão bem que não pôde deixar de começar a dançar de alegria.

REDAÇÃO CONTI outra

Você já se sentiu grato hoje por todos os mínimos confortos de que pode desfrutar no seu dia a dia? A cama confortável, o chuveiro com água quente para tomar banho, a comida na mesa e uma infinidade de outros pequenos privilégios podem ter se incorporado tanto à nossa rotina que os encaramos com naturalidade, mas para muitas pessoas ao redor do mundo, essas são experiências às quais nunca terão acesso.

A turista Laura Grier estava recentemente explorando o Parque Nacional Bwindi, em Uganda, na África, quando viu uma cena que a deixou tocada: uma mulher local andando descalça pelas ruas de terra quente e infestadas de doenças do mercado.

Antes de chegar a Uganda, Laura ouvira falar do nível de pobreza em que vivem as pessoas da aldeia. Muitas delas lutam simplesmente para encontrar água limpa para beber ou comida para dar aos filhos. Itens como roupas e jóias são difíceis de encontrar, e mulheres como a que Laura viu nunca tinham possuído um par de sapatos antes.

Laura então disse a seu motorista para parar o carro e pediu que ele desse à mulher um par de tênis que ela trouxe especificamente para dar a alguém necessitado. David, o motorista, ajudou a mulher a colocar os sapatos, enquanto a alegria dela crescia. Quando se viu com um tênis nos pés pela primeira vez, a mulher abriu um imenso sorriso e acenou para Laura, que tinha ficado dentro do carro.

“Quando vi a mulher na beira da estrada descalça, pedi ao motorista que parasse. A mulher estava descalça e nunca possuíra sapatos antes ”, disse Grier. No segundo em que o motorista terminou de amarrar os cadarços do primeira par de tênis que ela calçava, a mulher se sentiu tão bem que não pôde deixar de começar a dançar de alegria.

O momento em que a mulher africana dança de alegria foi registrado em vídeo e compartilhado nas redes sociais. É claro que este sincero e comovente registro viralizou rapidamente. Todos que vêem as imagens não podem deixar de sentir um pouco da alegria.

Esta mulher que não tem quase nada, foi capaz de ser tão grata ao ter acesso ao um mínimo conforto, que não se conteve e pôs-se a dançar. E isso não poderia deixar de ser uma lição a todos nós que vivemos rodeados de privilégios e mesmo assim nos deixamos tornar pessoas amargas e mal agradecidas.

Que esta história te traga alegria, como um par de tênis pôde alegrar certa vez uma mulher africana.

Ela é tão grata que é um grande lembrete para todos nós sermos gratos pelo que temos.


***

Redação CONTI outra. Com informações de inspiremore

Imagens Rumble– reprodução

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.