Lição de amor: Bebês gêmeos são salvos pelo irmão de 4 anos

Os bebês gemêos Giovanni e Santino enfrentavam um desafio grande demais para a pouca idade, mas foram salvos pelo coração de ouro de um anjo da guarda muito especial, o irmão mais velho deles, Michael, de quatro anos.

REDAÇÃO CONTI outra

Nascidos na Philadelphia (EUA) em setembro de 2017, os bebês gêmeos Giovanni e Santino Demasi enfrentaram um desafio grande demais para a pouca idade. Eles  foram diagnosticados com uma doença crônica rara chamada Granulomatosa. Mas, felizmente, eles foram salvos por um anjo da guarda muito especial, o irmão mais velho deles, Michael, de quatro anos.

A Granulomatosa é uma doença que faz com que as pessoas fiquem muito mais suscetíveis a infecções, deste modo, uma bactéria ou um vírus que não causaria grandes problemas em pessoas saudáveis, em pessoas portadoras da doença poderia ser fatal. Então dá para imaginar a apreensão dos pais ao saberem que os bebês recém-nascidos eram portadores da doença, não é mesmo?

Esta doença, no entanto, é passível de cura mediante a um transplante de medula óssea. Então a esperança para os pais de Giovanni e Santino era encontrar um doador compatível com os gêmeos. A partir daí se iniciaram os testes de compatibilidade com os familiares.

Mas, para o aumento da apreensão da família, os testes indicaram que os pais não eram compatíveis com nenhum dos dois. Foi aí que o médico teste a ideia de fazer o teste com o pequeno Michael. E adivinhem! Ele era compatível com  os dois irmãozinhos.

Assim que soube da notícia, o pequeno aceitou na hora realizar o transplante. Mas seus pais incialmente ficaram preocupados por se tratar de um procedimento complexo. “Nós ficamos preocupados porque há riscos e é um procedimento muito dolorido. E também pensamos no quanto ele entenderia”, afirmou a mãe, Robin Pownall.

Contudo, o pequeno Michael encarou tudo da forma mais positiva possível. Ele estava muito determinado a ajudar seus irmãozinhos. Então o corajoso menininho de quatro anos realizou o transplante, e o melhor, conseguiu se manter animado durante todo o processo.

“Ele encarou o desafio e ficou feliz em ajudar o irmão. Quando tiraram a medula dele, ele viu o saquinho de sangue e falou: ‘esta é a minha medula!’. Ele começou a contar para todo mundo, estava muito feliz. Ele sempre beija os irmãozinhos na testa e diz: ‘eu amo vocês!’”, contou a mãe.

Os gêmeos passam bem após o procedimento e agora já estão curados! Saúde e felicidade a Michael e aos gêmeos!

***

Redação CONTI outra. Com informações de Razões para Acreditar

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.