Jovem com síndrome de Down salva uma menina de se afogar, mas a mãe dela o ignorou.

A mais estranha reviravolta foi quando a mãe puxou a menina de 10 anos dos braços de Valerio sem qualquer reconhecimento de seus esforços. Segundo o La República, o jovem que havia acabado de salvar sua filha foi totalmente ignorado por ela.

CONTI outra

Depois de resgatar a menina de 10 anos no mar, Valerio Catoia foi reconhecido em seu país por sua coragem.

A praia é um lugar bonito, mas também muito perigoso. O mar é totalmente imprevisível e marés fortes podem ser fatais. Essa informação costuma ser bem conhecida pelas
mães e pais do mundo, que tentam vigiar seus filhos o máximo que podem durante uma tarde de verão na praia, mas nem sempre eles conseguem manter tudo sob controle.

Uma mãe na praia de Sabaudia, na Itália, experimentou essa situação quando sua filha de 10 anos foi arrastada para o mar. Incapaz de lutar contra a corrente violenta, a jovem gritou enquanto deslizava sob as ondas.

Felizmente, um jovem generoso estava prestando atenção.

Valerio Catoia, um menino de 17 anos com Síndrome de Down, viu como a menina de 10 anos e uma menina de 14 anos foram arrastadas para a boca do Mar Tirreno.

As duas gritaram por socorro e ele imediatamente respondeu ao chamado.

O pai de Catoia atravessou a praia com o filho e resolveu resgatar a menina maior. Os dois se jogaram no mar bem antes que os salva-vidas tentassem se aproximar. Embora geralmente seja melhor deixar o resgate para os profissionais, o jovem não é um amador no mar: a partir dos 3 anos ele nada e compete regularmente nas Olimpíadas Especiais.

A menina menor não aguentaria muito mais tempo, já que ela já estava submersa na água. Mas Valerio também tinha conhecimento de um curso de primeiros socorros, e foi muito útil quando ele levou a menina para fora do mar, certificando-se de apoiá-la e impedi-la de aspirar água.

A mais estranha reviravolta foi quando a mãe puxou a menina de 10 anos dos braços de Valerio sem qualquer reconhecimento de seus esforços. Segundo o La República, o jovem que havia acabado de salvar sua filha foi totalmente ignorado por ela.

Felizmente, para justiça de Valerio,  outras pessoas presenciaram a cena e se certificaram de que o jovem soubesse o quão maravilhoso ele tinha sido e o herói que acabara de se tornar. O ex-primeiro ministro Matteo Renzi disse que a Itália deveria se orgulhar de Valerio por ter tal coragem.

O ministro de esportes italiano, Lucca Lotti, concedeu a Catoia o prêmio “Campeão de Solidariedade da Itália”.

Quanto a Valerio, ele está ansioso para a escola começar de novo, e diz que, embora as atitudes das pessoas ao seu redor tenham mudado, é a mesma pessoa que sempre foi. Nós, entretanto, agora sabemos que ele é uma verdadeiro herói.

***

Tradução feita pela CONTI outra, do original de UPSOCL

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.