Doe 15 minutos do seu dia para andar com seu cão e tenha uma memória melhor

Estudos indicam que uma atividade física moderada e de alta intensidade antes (em comparação com durante/após) de completar uma tarefa cognitiva beneficia sua memória e aprendizagem.

O exercício físico pode melhorar a cognição (por exemplo, aprendizado e memória)? Se sim, quando alguém deve se exercitar: antes, durante ou depois de uma tarefa de aprendizado? De acordo com uma nova pesquisa de Haynes e colegas da Universidade do Mississippi, um curto período de exercício antes do aprendizado melhora a memória de curto e longo prazo.1

Pesquisas anteriores mostraram que a atividade física aumenta não só a saúde, mas também a cognição. Por exemplo, uma análise sistemática de 2010 envolvendo adultos mais velhos descobriu que 71% dos estudos examinados mostraram uma relação positiva entre atividade física e cognição (incluindo menor probabilidade de desenvolvimento de demência).2 E uma análise de 2013 descobriu que o exercício cardiovascular estava associado a melhorias na memória.3

O estudo

Com base em pesquisas anteriores sobre os efeitos temporais do exercício, Haynes e seus colegas tentaram determinar quando (em relação à tarefa de aprendizagem) o exercício pode melhorar a memória.1

Os pesquisadores utilizaram um projeto contrabalançado dentro do assunto. Neste projeto, os participantes estão expostos a todas as condições de pesquisa; no entanto, a ordem em que as condições são experimentadas é diferente para diferentes participantes. Isso é feito para reduzir o viés potencial.

A amostra foi composta por 24 estudantes universitários (idades de 18 a 35 anos, média de 21 anos; 67% de mulheres; 79% de hispânicos brancos). Potenciais participantes eram eliminados se fossem fumantes, grávidas, tiveram uma concussão recente, fossem diagnosticados com transtorno de déficit de atenção ou dificuldade de aprendizado, ou estivessem tomando medicações psiquiátricas; eles também eram excluídos se tivessem feito exercício, bebido café ou consumido maconha recentemente (ou outras drogas ilegais).

Os alunos foram convidados a completar quatro visitas de uma hora ao laboratório. Estas incluíram uma sessão de controle, em que nenhuma atividade física ocorreu; e três sessões de exercício: antes, durante e depois da codificação da memória.

A manipulação experimental consistiu em andar em uma esteira por 15 minutos. Os participantes selecionaram o ritmo depois de serem informados “Por favor, escolha um ritmo semelhante ao que você escolheria se estivesse atrasado para a aula. Assim, não será um passeio vagaroso. Nem será uma corrida”. Cada pessoa andou no mesmo ritmo durante 15 minutos. A velocidade escolhida, em média, foi de 5,4 km/h.

A condição de controle não envolveu exercício, mas um descanso de 5 minutos antes da conclusão da tarefa de memória.

Nas três condições de exercício, os participantes realizavam a tarefa de aprendizagem antes do exercício em esteira, na esteira ou depois. A tarefa de aprendizagem utilizada foi o Teste de Aprendizagem Auditivo-Verbal de Rey (RAVLT, sigla em inglês), que é um teste de memória de curto e longo prazo, composto por duas listas (Lista A / B) de 15 palavras que são lidas (várias vezes) ao participante, que então tenta lembrar tantas palavras quanto possível.

Em todas as visitas, depois de concluir o RAVLT, os alunos passaram 20 minutos assistindo a um episódio do The Office (que serviu como distração). Posteriormente, tentaram lembrar as palavras da Lista A do RAVLT.

Os resultados mostraram que a aprendizagem melhorou durante os testes; este efeito foi mais forte para a condição em que a caminhada na esteira ocorreu antes da tarefa de aprendizagem. Essa condição também foi associada ao melhor desempenho de memória de longo prazo.

Essas descobertas concordam com pesquisas anteriores dos mesmos autores (usando um desenho de estudo diferente), que mostraram que a atividade física moderada e de alta intensidade antes (em comparação com durante/após) de completar uma tarefa cognitiva era mais benéfica para a aprendizagem.

Conclusões potenciais

Da próxima vez que você precisar estudar para um teste, aprender novas informações relevantes para o seu trabalho ou simplesmente memorizar as letras de uma música favorita, primeiro passe 15 minutos fazendo atividades físicas de intensidade moderada, como passear com o cachorro ou cortar a grama.

Isso não só será benéfico para sua saúde e bem-estar geral, mas também resultará em melhor aprendizado e melhor memória.

Referências

1. Haynes IV, J. T., Frith, E., Sng, E., & Loprinzi, P. D. (2018). Experimental effects of acute exercise on episodic memory function: Considerations for the timing of exercise. Psychological Reports. Doi: : 10.1177/0033294118786688
2. Paterson, D. H., & Warburton, D. E. (2010). Physical activity and functional limitations in older adults: A systematic review related to Canada’s physical activity guidelines. International Journal of Behavioral Nutrition and Physical Activity, 7, 38.
3. Roig, M., Nordbrandt, S., Geertsen, S. S., & Nielsen, J. B. (2013). The effects of cardiovascular exercise on human memory: A review with meta-analysis. Neuroscience and Biobehavioral Reviews, 37(8), 1645–1666.

***

Tradução adaptada CONTI outra. Do original: How to Improve Your Memory in Less than 15 Minutes

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.