Alvo de bullying por recolher lixo das ruas, menina muda de escola, mas não desiste de limpar o planeta

Os valentões da sua escola viram seu comportamento positivo como algo a ser usado contra ela e começaram a provocá-la com o apelido de "trash girl" (garota do lixo).

REDAÇÃO CONTI outra

A adolescente Nadia, de 13 anos, é exatamente o tipo de pessoa de que o mundo mais precisa, alguém que se preocupa com sua comunidade e a Terra que todos compartilhamos. No entanto, os valentões da sua escola viram seu comportamento positivo como algo a ser usado contra ela e começaram a provocá-la com o apelido de “trash girl” (garota do lixo).

Mas se engana quem imagina que Nadia se deixou abater, a menina levantou a cabeça e abraçou o apelido, que, segundo ela própria, a faz parecer um super-herói. Implacável, ela continuou com sua cruzada de limpeza e criou uma página no Facebook, chamada “Team Trash Girl “, onde ela incentiva outras pessoas a postarem suas próprias histórias de coleta de lixo.

“Eu queria encontrar uma maneira de ajudar todos a apoiarem uns aos outros, para ajudar a corrigir os problemas do planeta, antes que o planeta se torne um caso perdido”, escreve a menina. “Então, por favor, tente pegar 3 pedaços de lixo hoje. Mostre-nos o que você encontrou. Vamos todos apoiar uns aos outros para tornar o mundo um lugar melhor ”.

Depois que sua história viralizou em 2018, Nadia tornou-se uma embaixadora da ONG WWF e ganhou reconhecimento internacional e vários prêmios.

Image credits: theoutdoorguide

Ela foi até mesmo imortalizada em forma de desenho animado e, sendo ela mesma uma interessada no assunto, também está publicando sua própria história em quadrinhos com tema ambiental em um jornal local.

Image credits: creativenation

Mas aqueles que praticavam bullying contra Nadia não desistiram. Toda a atenção que ela passou a receber depois que a sua história ficou conhecida, só fez alimentar a inveja e a amargura desses garotos. Eles já jogaram suco de laranja nela, já lhe apontaram uma faca e até já lhe deram um soco. A polícia se envolveu no caso e Nadia teve que mudar de escola.

Agora em uma nova escola, a Reepham High, Nadia tem o melhor professor que ela poderia encontrar, Matt Willer, que a garota conheceu quando ambos foram nomeados para um prêmio de “herói ecológico”

O professor, que dirige um projeto ecológico, disse à BBC : “Eu ouvi falar do trabalho incrível que ela estava fazendo coletando lixo e como, muito tristemente, ela estava sendo maltratada porque estava fazendo algo diferente”.

“Isso me sensibilizou e então perguntei se ela gostaria de vir e dar uma olhada na Reepham High, escola em que eu leciono.”

A antiga escola de Nadia, Hellesdon High, disse que a segurança e o bem-estar dos estudantes são de suma importância. “Promovemos um ambiente coletivo que reflete altos padrões morais e uma cultura de responsabilidade social. Proporcionamos um ambiente de aprendizagem seguro para todos os alunos. Todos os estudantes são respeitados e sua individualidade é valorizada ”, disse Tom Rolfe, diretor da Hellesdon.

Image credits: teamtrashgirl

Mas Paula Sparkes, mãe de Nadia, disse que sua filha não era apoiada em Hellesdon High. “A equipe não estava do lado dela para ajudar e apoiar ela, e achamos que não era apropriado que ela estivesse lá mais”, disse ela.

Nadia continua unindo forças sob seu apelido de “Trash Girl”, um nome que lhe foi dado para humilhá-la, mas que agora é motivo de muito orgulho para ela.

***

Redação CONTI outra. Com informações de Bored Panda.

Imagem de capa:  teamtrashgirl

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.