A intuição é a alma que fala conosco

A intuição é usada mais do que você pensa. Portanto, é necessário saber ouvir nossas emoções, entender o que acontece em nosso mundo interior para encontrar calma e equilíbrio.

CONTI outra

Para Albert Einstein, a única coisa realmente importante era a intuição. Não é magia ou feitiço, mas essa capacidade sutil que nos faz inclinar o equilíbrio para o lado, ela em pouco mais de dois segundos nos permite avaliar se uma pessoa é legítima ou não. A intuição é a linguagem da alma guiada pelo caminho da experiência inconsciente escondida em nosso cérebro.

Howard Gardner, notável especialista em teorias da mente, nos fala sobre a necessidade de desenvolver um tipo de inteligência intuitiva, com a qual ser mais receptivo ao nosso mundo interior.

Nenhum marinheiro consulta um livro para saber como enfrentar um oceano conturbado, deixa-se guiar pela sua intuição, por aquela voz interior que sabe ler os perigos e prever o melhor caminho, a melhor estratégia. Aquilo que demora alguns segundos…

Se existe alguma coisa que sempre interessou o estudo da intuição, é por ser essa a estratégia que guia muitas das nossas decisões diárias. Pegue um caminho e não outro, desconfie de alguém, recuse uma oferta de emprego, aceite um projeto… Há aqueles que meditam muito, outros, ao contrário, são levados por ela: a intuição.

Convidamos você a conhecer mais sobre essa interessante dimensão psicológica.

Intuição: o caminho do inconsciente para o mundo consciente

Ninguém pode garantir que, seguindo nossa intuição, tomaremos as decisões mais bem-sucedidas. No entanto, o que vamos alcançar é um aspecto igualmente importante: agir de acordo com nossas essências, valores, emoções e valorações obtidas de acordo com nossas experiências anteriores. Vamos dar um passo com um equilíbrio interno adequado.

Um dos maiores especialistas neste campo é o sociólogo e ensaísta Malcolm Galdwell. Através de seus muitos estudos, ele nos mostra como corretores, médicos, psicólogos, publicitários, mecânicos ou donas de casa são capazes de tomar decisões sensatas em poucos segundos. Estamos então diante de um tipo de poder que vai além das habilidades psíquicas comuns? De maneira alguma, explicaremos a você em seguida.

Características essenciais da intuição

A intuição é parte do que é conhecido como “inconsciente adaptativo”. Cada coisa aprendida, sentida, internalizada, pensada e experimentada cria uma sabedoria única e particular que nos define. É a nossa essência, é um “capital mental” que usamos quase sem perceber todos os dias.

O poder da pessoa intuitiva reside em saber como usar esse capital como canal. O bom intuitivo saberá separar todos os ramos da floresta para encontrar o caminho no meio da encruzilhada. Porque decidir é, afinal de contas, a arte de descartar, e quer acreditemos ou não, a intuição é uma ferramenta formidável.

Como desenvolver nossa inteligência intuitiva

Antes de saber como podemos melhorar nossa inteligência intuitiva, você pode se perguntar por que deveríamos fazer isso e como é útil. Bem, para isso temos que lembrar como a inteligência tradicional funciona, isto é, através da reflexão e processamento mais lógico.

Graças a Howard Gardner, sabemos que existem muitos outros tipos de inteligência e que todos são igualmente úteis. A inteligência intuitiva, por sua vez, irá permitir-nos para trazer a nossa consciência e nossas emoções para tomar decisões mais rápidas, é o “mais íntimo” contrastando com um ponto de vista mais racional ou convergente.

Chaves para desenvolver inteligência intuitiva

A intuição é usada mais do que você pensa. Portanto, é necessário saber ouvir nossas emoções, entender o que acontece em nosso mundo interior para encontrar calma e equilíbrio.

Daniel Goleman, por exemplo, recomenda-se que uma vez que controlar e entender as nossas emoções, nos permitimos pensar Zen (pense Zen) que nada mais é do que alcançar um estado mental de calma profunda a ser mais receptivos ao nosso interior e por sua vez, para o meio ambiente.
As mensagens que a intuição geralmente envia algumas vezes são um tanto complexas: sensações, formas, palavras … É nossa tarefa interpretá-las. Quanto mais liberdade dermos à nossa mente, sem preconceitos ou barreiras, mais nossa intuição emergirá.

Para concluir, a inteligência intuitiva pode ser treinada todos os dias, desde que nos permitamos ser mais livres de pensamentos e, ao mesmo tempo, receptivos às nossas emoções. A intuição não é apenas sobre mulheres, todos nós temos essas explosões de luz mental, esses palpites que nos guiam a uma opção muito concreta que, no final, pode ser a correta. Vale a pena deixar-nos guiar por eles, por essa linguagem especial …

Tradução feita pela CONTI outra, do original de Rincon del Tibet.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.