Vovó de 96 anos costura máscaras para sua comunidade.

Nancy Williams é especialista em costura, então decidiu usar sua atividade preferida para fornecer suporte à sua comunidade.

Ana Carolina Conti Cenciani

Essa vovó não fica parada durante a nova pandemia do coronavírus, ela também quer contribuir para a luta contra a doença. Sendo assim, Nancy Williams, de 96 anos, decidiu costurar máscaras para proteger aqueles que precisam sair às ruas.

Os idosos correm mais risco quando ficam doentes com o COVID-19; portanto, Nancy ficou em casa, mas isso não a impediu de continuar com seu hobby que pratica desde criança, agora juntando o útil ao agradável. Em pouco temo ela já fez cerca de 150 máscaras.

“Minha filha diz que é como um ‘esforço de guerra’. É por causa do vírus. E eu dou para quem quiser e precisar”, disse Nancy em conversa com a WSBTV.

Williams permaneceu refugiada em sua casa da comunidade sênior de Loganville, na Geórgia, Estados Unidos, onde instalou sua trincheira exatamente como em uma guerra. Seu arsenal está cheio de tecido, agulhas e linhas e cada vez mais máscaras estão ficando prontas.

“Minha avó era costureira em Viena, na Geórgia, onde cresceu. Minha mãe aprendeu a costurar naquela época, porque eles faziam tudo o que estavam vestindo”, disse a filha de Williams, Joan Ottinger.

Ottinger enfatizou que a fiel companheira de sua mãe ao longo de sua vida tem sido sua máquina de costura. Em sua história como costureira, Nancy passou a fabricar roupas para modelos vencedoras da Miss Geórgia, por exemplo.

Mas agora, a prioridade não é a moda, mas sim ser o mais útil possível para sua comunidade e seu país durante esta emergência de saúde. Principalmente para apoiar os trabalhadores e médicos no lar de idosos onde ele mora. Sua família reconhece seu enorme esforço.

“Estamos muito orgulhosos dela”, disse Ottinger.

Para ela, é apenas o começo. Ela sabe que esse processo será longo, porque a pandemia ainda está crescendo. No entanto, ela fará o possível para apoiar esta crise.

“Espero poder fazer o suficiente. Não posso fazer o suficiente para todos, mas talvez eu possa fazer o suficiente pelas pessoas ao nosso redor”, disse Nancy.

Com informações de UPSOCL

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 19 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui notícias que são boas de se ler.