Vovó de 108 anos sobrevive ao coronavírus nos Estados Unidos. Uma guerreira!

Sua recuperação é um reflexo de força e coragem. Ainda mais, que essa não é a primeira vez que ela se livra de um vírus: em 1918, essa vovó também derrotou a gripe espanhola.

Ana Carolina Conti Cenciani

Infelizmente, o coronavírus contaminou muitas pessoas jovens, adultas e idosas, que foram o maior grupo de risco e o atingido com mais força também. Na calçada oposta, estão todas as pessoas que contornaram a doença com sucesso, com histórias dignas de se aplaudir de pé, Sylvia foi uma delas.

Ela é uma avó de 108 anos que se recuperou com sucesso do COVID-19, em Nova Jersey (Estados Unidos). Uma mulher corajosa e sobrevivente, nenhum vírus a derrotará. Sylvia já havia vencido a batalha contra a gripe espanhola de 1918 e agora, mais uma vez, demonstrou ser muito forte e corajosa. “Eu estava determinada a sobreviver”, conta.

A equipe do hospital comentou a coragem que essa guerreira inspira. De fato, ela foi a pessoa mais velha a vencer o vírus em seu estado, e, provavelmente em qualquer outro lugar do mundo.

Sylvia foi confirmada como positiva para o coronavírus em março, depois de ter sido transferida para o setor de isolamento da Comunidade Allendale para idosos, sua casa desde 2007.

A mulher nasceu em 29 de dezembro de 1911 e, em suas próprias palavras, era “a mais velha de quatro filhos e a mais inteligente do grupo”.

Sylvia também conta sua experiência e diz: “O vírus é muito perigoso. Eu sobrevivi a isso porque estava determinada a sobreviver. Eu tenho que sair no topo de cada lista.” Sem dúvida, sua grande personalidade e bravura a fizeram derrotar essa doença.

A repercussão de sua incrível recuperação foi tão grande que até o governador de Nova Jersey dedicou um tempo para se felicitar, por meio de sua conta no Twitter.

Assim como Sylvia foi capaz de superar essa doença cruel, todos nós podemos ajudar a amenizar a pandemia, principalmente ficando em casa e evitando nos contaminar e contaminar os outros.

Ela é uma verdadeira guerreira, mas seu destino poderia ter sido diferente. Portanto, se puder fique em casa!

Com informações de UPSOCL

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 19 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui notícias que são boas de se ler.