“Você nem imagina”, um filme que reverencia o amor em suas mais diferentes formas

O filme da Netflix que vêm aquecendo os corações dos espectadores impressiona pela maturidade e pela sensibilidade com que trata a descoberta do amor e a construção da identidade.

Felipe Souza

A Netflix adicionou ao seu catálogo mais uma produção cinematográfica voltada ao público adolescente, “Você nem imagina”. Mas se engana quem espera encontrar cenários coloridos, enredo água com açúcar e diálogos bobinhos, como já é de praxe em produções do gênero lançadas recentemente pela gigante do streaming. No filme escrito e dirigido pela cineasta Alice Wu, os clichês próprios das comédias românticas teen até aparecem, mas passam quase desapercidos em uma trama madura, sensível e inteligente.

O filme já começa diferente ao apresentar sua protagonista, Ellie Chu, uma garota de 17 anos de ascendência chinesa que vive em uma cidadezinha sem muitos atrativos no interior dos Estados Unidos. Nada na construção da personagem faz lembrar a caricatura das personagens asiáticas que a indústria cinematográfica tanto reproduziu ao longo da história, e nisso pesa o fato de que a própria diretora da produção tem ascendência asiática.

Em recente entrevista ao site adoro Cinema, a diretora falou sobre suas escolhas na construção de Ellie, “A personagem de Ellie poderia ser interpretada por alguém de uma raça ou cultura diferente. Ela poderia ser interpretada como uma pessoa branca, certo? Mas o que eu realmente gosto de fazer é humanizar esses personagens para que eles sejam um personagem que você normalmente não vê, que geralmente apenas tem um papel estereotipado.”

“Gosto de torná-los o personagem principal e, em seguida, realmente dar a Ellie todas as nuances do que os personagens principais sentem – e que eu acho que, na maioria das vezes, são realmente semelhantes, independentemente da cultura que você seja.”, conta a diretora.

Na trama do filme, Allie faz amizade com um garoto chamado Paul, que pede que ela o ajude a escrever cartas para Aster, a garota por quem está apaixonado. O que Paul não sabe é que Ellie também é secretamente apaixonada por Aster. Se parece com a sinopse de qualquer filme teen, não é mesmo? Mas acredite, “Você nem imagina” tem muito mais a oferecer, afinal, o desenvolvimento e a conclusão do filme escapam do clichê, abordando o amor em suas mais diferentes formas. A amizade que se desenvolve entre Ellie e Paul, por exemplo, é mais importante do que o amor romântico que ambos sentem por Aster. Juntos, eles vivem uma bonita jornada de amadurecimento e construção da própria identidade.

“Você nem imagina”, portanto, é uma produção que merece ser vista por espectadores de qualquer idade, afinal, a pergunta que o filme propõe – e que talvez não tenha respondido – é universal e continua a moldar caminhos, mudar trajetórias e atormentar os poetas, “o que, afinal, é o amor?”.

***

Veja o trailer abaixo:

Imagem de capa: reprodução/divulgação

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Felipe Souza
O socorrense Felipe Souza descobriu cedo o seu interesse pela literatura e pela escrita. Nos primeiros anos da escola já era uma criança imaginativa que tinha especial interesse pelas aulas de Redação e de Língua Portuguesa. Na adolescência, já se arriscando a produzir seus próprios textos, participou de três edições do Mapa Cultural Paulista, tradicional concurso literário do Estado, inscrevendo seus contos, “Procura-se uma identidade, de 2005, “Rotina”, de 2006 e “(Minha vida cabe dentro de um parêntese)”, de 2007, que, em suas respectivas participações, conquistaram a primeira colocação na fase municipal da competição. Felipe cursou Letras- Português e Inglês, na PUC-Campinas e trabalha desde novembro de 2016 produzindo conteúdo jornalístico para a Rádio Socorro.