Victoria’s Secret põe fim à era das ‘angels’ e busca representar mulheres reais

Após anos de críticas por promover estereótipos, a gigante da lingerie remodela sua imagem e se despede das musas aladas. Agora, eles vão representar sua marca com mulheres empresárias e ativistas, como a jogadora de futebol Megan Rapinoe.

CONTI outra

As icônicas angels da Victoria’s Secret se foram, pois embora o desfile tenha sido cancelado no ano passado, agora as modelos usuais também serão removidas e substituídas, devido a uma grande reestruturação da marca.

Com enorme popularidade em todo o mundo, a marca de lingerie anuncia o fim de suas angels e o início de uma nova era, associada à escolha de modelos femininos inspiradores e não apenas de rostos ou corpos perfeitos.

Em uma ampla entrevista para o The New York Times, o CEO da Victoria’s Secret, Martin Waters, disse que as angels não eram mais “culturalmente relevantes”, pois estavam recebendo mais críticas do que aceitação nestes novos tempos.

Embora seu apogeu, ocorrido na década de 1990 e início de 2000, tenha sido excelente e todos seguissem figuras como Gisele Bündchen, Tyra Banks e Heidi Klum, a verdade é que elas propunham apenas uma definição de “sensual”, algo que no presente tornou-se obsoleto.

“Eu sabia que precisávamos mudar essa marca há muito tempo”, disse Waters ao The Times, refletindo sobre a demora que os executivos da empresa sofreram para fazer essa mudança necessária.

“Antigamente, a marca tinha apenas uma lente, que se chamava ‘sensual’”, destacou Waters, anunciando as mulheres que vão ocupar o lugar das angels.

Novas Angels

As novas referências femininas da marca – associadas ao ativismo e ao empoderamento – serão compostas por mulheres como a atriz e empresária indiana Priyanka Chopra Jonas e a jogadora profissional de futebol e ativista pelos direitos de gênero Megan Rapinos, que assumirão o papel de “as novas angels”.

Apresentadas no The VS Collective, também compõe o time a refugiada e defensora da saúde mental Adut Akech; a jornalista, fotógrafa, fundadora do projeto Girl Gaze e defensora da igualdade Amanda de Cadenet; a modelo transgênero, atriz e ativista LGBTQIA + Valentina Sampaio; a esquiadora e campeã mundial de estilo livre, defensora e modelo dos esportes juvenis e femininos, Eileen Gu; a modelo e defensora da diversidade Paloma Elesser.

O objetivo da Victoria’s Secret é promover uma nova imagem de marca e uma mudança de forma que não pode ser revertida.

***
Redação Conti Outra, com informações de UPSOCL.
Fotos: Getty Images.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.