Um pescador tailandês chamado Narong Phetcharaj encontrou por acaso um vômito de baleia que está avaliado R$ 7,4 milhões.

Tudo começou quando, depois de mais um dia de trabalaho, o homem retornava para a praia de Niyom, ao sul da Tailândia, e avistou algo diferente em meio a correnteza. Quando se aproximou, ele imediatamente desconfiou que a descoberta poderia valer milhões, pois a massa cerosa à deriva aparentava ser o valioso âmbar cinza ou “vômito de baleia”.

Chamada de vômito, o âmbar cinza é na verdade a matéria fecal, formada no intestino de uma cachalote. No entanto, presente em uma parcela ínfima da espécie e usada como fixador na produção de perfumes.

Inteligentemente, Phetcharaj manteve a descoberta em segredo, enquanto testava a substância em casa. Por meio de notícias sobre o assunto, ele queimou pequenos pedaços do material. Ao derreterem rapidamente, ele ficou ainda mais animado, já que essa é uma característica do âmbar cinza.

Posteriormente, o pescador levou o material para a avaliação de especialistas da Universidade Príncipe de Songkla. Após análise minuciosa, o resultado deu positivo: Phetcharaj tinha em mãos 30 kg de vômito de baleia, que podem valer aproximadamente R$ 7,4 milhões.

“Pretendo vender o âmbar cinza, porque recebi um certificado que prova que é real”, disse o pescador, em declaração reportada pelo tabloide britânico Daily Mail.

Phetcharaj, que recebe o equivalente a R$ 1.400 mensais com a pesca, agora tem novos planos à frente: “Se eu conseguir um bom preço, vou parar de trabalhar como pescador e dar uma festa para meus amigos”, afirmou.

***
Redação Conti Outra, com informações de R7.
Imagens: SOUTH CHINA MORNING POST.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.