Trigêmeos esperam ansiosamente pela coleta do lixo para passar um tempo com seus melhores amigos

Onde floresce o amor não há espaço para preconceito! É lindo ver crianças tão pequenas oferecendo carinho a esses profissionais que fazem um trabalho tão importante para a nossa sociedade, mas que nem sempre recebem o devido reconhecimento.

REDAÇÃO CONTI outra

As crianças não entendem automaticamente coisas como estruturas de raça e de classe; portanto, ajudá-las a entender que todas as pessoas são iguais e dignas de nosso respeito é crucial para criar pessoas bondosas e empáticas.

Martha Sugalski, que mora na cidade de Orlando, no Estado da Flórida (EUA), sempre ensinou aos seus três filhos mais novos, os trigêmeos Heaton, Wilder e Holder, a importância de abordar a todas as pessoas com bondade e dignidade. Quando os pequenos tinham apenas 2 anos de idade, utilizaram essas habilidades sociais ao descobrirem um caminhão muito legal, cheio de pessoas legais que vinham à sua casa duas vezes por semana.

No “dia da fantasia” na casa de Martha, as crianças acordam muito cedo, tamanha ansiedade. Eles costumam se preparar com um dia de antecedência para a chegada dos seus melhores amigos Andrew Black, Rob Whitmore e Chad Cover, que trabalham na coleta de lixo da cidade. Os pequenos fazem biscoitos e estocam Gatorade gelado para distribuir a eles na chegada.

Em troca, os rapazes oferecem muito carinho às crianças. Chegando ao meio-fio, as crianças animadamente os chamam: “Ei, pessoal! Tenho um Gatorade para você!”. Os homens então tocam a buzina do caminhão e pulam para dar abraços apertados nos trigêmeos. Você pode dizer que ver esses docinhos é o destaque de sua rota!

“A equipe sai do caminhão e os bebês vão ao seu encontro. Eles se abraçam e todos conversam.”, disse Martha . “Eles passam de 10 a 15 minutos conosco todas as terças e sextas-feiras.”

Martha costuma compartilhar vídeos de seus filhos no Facebook, afirmando que eles são a maneira dela de compartilhar amor e bondade com o mundo. A amizade começou quando os trigêmeos tinham apenas 2 meses de idade e Martha levava as crianças para passear no bairro, para que elas acenassem para os caminhões.

“Depois de alguns meses, o caminhão de lixo tocava a buzina e os bebês olhavam para o caminhão, e então Andrew acenava e dizia ‘Olá, bebês!’ da janela – ela disse. “Eventualmente, ele parava o caminhão, descia, tirava as luvas e dizia oi para os bebês.”

O trabalhador do saneamento, Chad Cover, diz que ver as crianças em seu caminho é a melhor coisa do seu dia. Mesmo quando ele estava de licença médica, ele aparecia no “dia da fantasia” apenas para dizer olá para seus amiguinhos. “Eu simplesmente amo os trigêmeos. Quase sinto que são meus ”, disse Chad. “Toda vez que os vejo, eles me trazem alegria.”

É lindo ver crianças tão pequenas oferecendo carinho a esses profissionais que fazem um trabalho tão importante para a nossa sociedade, mas que nem sempre recebem o devido reconhecimento.Torcemos para que a vida conserve puros e cheios de amor os corações dessas crianças que não conhecem distinção de raça e de classe social.

Veja o vídeo:

***

Redação CONTI outra. Com informações de inspiremore

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.