Terapia com lhamas ajuda idosos a lidarem com a pandemia no Oregon.

Um fazendeiro americano usa seu animal de estimação César para esse nobre propósito, César faz companhia para os idosos que não possuem contato físico com familiares e amigos há meses.

Ana Carolina Conti Cenciani

A pandemia de coronavírus afetou seriamente os Estados Unidos, um país que até o momento acumulou mais de 4 milhões de casos de pessoas infectadas e mais de 144 mil fatalidades como resultado dessa doença grave. Mas, além de todos os sintomas e efeitos colaterais da doença, também precisamos lidar com os efeitos do isolamento social em nossa saúde mental, que muito foi atingida.

Foi aí que Larry McCool e sua lhama César, no Oregon, começaram a agir. Os dois, residentes de uma fazenda na cidade de Jefferson, acompanharam alguns alunos, gravaram vídeos de aniversário e até participaram de manifestações perto de sua casa.

Mas, acima de tudo, a missão mais importante de César, uma lhama terapêutica, é levar seu ser humano para as casas de repouso, perto de sua Fazenda chamada Mystic Llama Farm, e acompanhar voluntariamente os idosos que, devido à crise do COVID-19 não conseguem ter contato físico com seus parentes e entes queridos há meses.

Recentemente, ele visitou os moradores da casa de The Oaks, em Sherwood Park, com 48 idosos felizes em serem acompanhados por um animal tão calmo e doce. Eles não veem seus parentes há quatro meses, então a presença do animal de estimação de Larry os deixou muito felizes.

“Eles se sentem negligenciados e excluídos (…) Quando vêem César, seus olhos se iluminam (…) Todo dia eu acordo tão agradecido por ver César na grama (…) Todos podem abraçar uma lhama, todos podem abraçar César. Eu tenho que fazer isso todos os dias. Eu não poderia pedir uma vida melhor. E eu não poderia pedir um parceiro melhor que esse.”, conta Larry McCool ao Business Insider Today .

Lhamas como Cesar são famosos por serem animais de terapia ideais, devido ao seu comportamento calmo e sociável. De fato, eles são usados em todo o mundo para tratar pessoas com demência, crianças com necessidades especiais e outras pessoas com diferentes condições ou com problemas de saúde mental.

“Isso os deixa muito felizes. (…) e também ficam felizes ao saberem que a comunidade se importa com eles, que existem pessoas no exterior que lembram que eles estão lá sozinhos. Nem todos os dias eles podem olhar para cima e dizer: ‘Oh meu Deus, há uma lhama na minha janela’.”, afirmou Sharon Alcaraz, diretor de enriquecimento da vida no lar de idosos.

Essa iniciativa é muito importante para essas pessoas e César demonstrou ser um grande parceiro para as horas mais difíceis.

 

Imagens: Reprodução/Business Insider Today
Com informações de UPSOCL

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 19 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui notícias que são boas de se ler.