Eu vou interromper sim as minhas publicações para falar disso. Se vão todos debandar, eu sinceramente não ligo mais.

Há muitas vidas em jogo para qualquer pessoa minimamente esclarecida de equilíbrio e empatia ficar calada e sem se posicionar. O pronunciamento  pelo “presidente” no último dia 24-03-2020 é mais um infeliz e criminoso marco histórico não só do Brasil, mas do mundo.

É lamentável constatar que poder o dado para pessoas assim, totalmente desprovidas de qualquer sensibilidade, seja real. Até mesmo os governantes eleitos com o seu apoio estão incrédulos com a política sendo feita num momento absolutamente indefensável para discussão de bandeiras e partidos.

A sociopatia do Messias dá medo, assim como das pessoas que conscientemente ainda tentam argumentar em sua defesa. O mal que tanto criticamos em outras partes do mundo, está plantado dentro das casas de muitas pessoas. Terror é o mínimo que esse cidadão pratica.

O seu abuso e manipulação emocional não possuem um limite, mesmo com todas as barreiras e tabus da sociedade hipócrita brasileira. Eu temo pelo amanhã, pelas pessoas que eu amo e pelo todo também. Até pelos idiotas. Até pelos que usam constantemente esse véu de absurdos, achando tudo normal ou tradicional. Conceitos estão sendo usados como ferramentas de genocídio.

O conservadorismo parece não ter fim e muito menos uma cura. São tempos difíceis para ser humano. Eu fico pensando no que eu diria sendo pai, e tenho pesadelos só de pensar em ter que explicar o quanto o mundo caminha para um abismo.

Eu choro às vezes de madrugada e até acordo falando sozinho sobre isso. É assustador.

Para quem sofre de depressão, anda muito complicado enxergar cores em palavras e atitudes cada vez mais cinzentas.

Eu até sinto raiva às vezes. E eu me culpo por ter esse sentimento tão ruim dentro de mim. Mas é que tá foda. Tá foda demais. É por essas e outras que eu não acredito em mais nada além das nossas escolhas.

Nenhuma entidade benevolente deveria ver o outro sofrer e nada fazer. Em troca de quê? Aprendizado? Não. Ver o sofrimento alheio e cruzar os braços e olhar para o lado é puramente conivência. Talvez os deuses realmente sejam astronautas de uma outra galáxia.

***

Imagem de Daniel Reche por Pixabay

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







"Cidadão do mundo com raízes no Rio de Janeiro"