Ser solteiro, namorar ou ser casado é bom: encontre a felicidade no seu estado atual

Muitos de nós temos essa mania de ficar comparando nossas vidas com as vidas dos vizinhos. Isso pode até ser bom, caso nos motive a melhorar e alcançar o que queremos, porém, pode também ser um problema, quando achamos que a felicidade sempre é mais completa para além dos nossos muros.

Marcel Camargo

Muitos de nós temos essa mania de ficar comparando nossas vidas com as vidas dos vizinhos. Isso pode até ser bom, caso nos motive a melhorar e alcançar o que queremos, porém, pode também ser um problema, quando achamos que a felicidade sempre é mais completa para além dos nossos muros.

Comparações demasiadas acabam causando inveja e inveja é uma das piores coisas dessa vida. Ela atrasa, emperra, deforma a realidade e cega quem a carrega. Admirar o outro e tentar chegar até onde ele está com nossos próprios esforços é ótimo, mas isso a inveja não provoca. Pelo contrário, ela geralmente faz com que se queira que o outro caia, saia de onde está e chegou por merecimento e dedicação. Triste demais.

Na verdade, tomar decisões sempre requer abrir mão de algumas coisas, fazer concessões, deixar para trás um bocado de objetos, momentos, pessoas. Não dá para levar tudo quando se sobe um degrau, não dá para continuar igualzinho, nem para levar a mesma vida de antes. Avançar implica se libertar de algumas coisas que não caberão mais no futuro que se tem pela frente. E, às vezes, isso dói.

Se a pessoa começa um relacionamento amoroso, tem que abrir mão de alguns comportamentos que atrapalham essa união. Se a pessoa muda de emprego, tem que deixar de conviver com colegas de trabalho de quem gostava. Se a pessoa passa numa faculdade distante, tem que aprender a ficar longe de muita coisa e de muita gente. Alguns passos de nosso caminhar nos levam para longe de certezas, enquanto vamos alcançando sonhos. Não tem outro jeito, é o ritmo da vida.

Por isso é que não devemos ficar nos comparando com outras pessoas, tampouco devemos ficar presos ao que tínhamos e não está mais conosco. O novo está sempre ali na nossa frente, cheio de novas oportunidades de ser feliz e de crescer como ser humano. Etapas novas chegam a quem não se prende ao presente de forma exagerada. Saiba ser feliz com o seu hoje, com quem está do seu lado, com o que faz parte da sua vida. É assim que a gente consegue seguir sem peso inútil.

Está na faculdade? Bom. Prefere trabalhar e depois pensar em faculdade? Bom também. Namorando? Legal. Solteiro? Legal também. A fase é sua, aproveite. Ignore quem vem cobrar algo que você não quer fazer. Ser autêntico sempre será a sua melhor qualidade. Ser autêntico é para poucos.

***
Texto originalmente publicado em Prof Marcel Camargo

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Marcel Camargo
"Escrever é como compartilhar olhares, tão vital quanto respirar". É colunista da CONTI outra desde outubro de 2015.