Sei mais do que digo, penso mais do que falo e percebo mais do que imaginam

Que sempre caminhemos por entre jardins floridos, com as cores da verdade e o perfume do amor recíproco. Também haverá espinhos, mas a cicatrização será mais rápida.

Talvez uma das maiores sabedorias consista em percebermos que muitas pessoas não merecem receber o nosso melhor, pois tentarão sempre usar aquilo contra nós. É muito difícil saber em quem confiar, hoje em dia, num mundo em que as aparências são mais valorizadas do que qualquer essência.

Nem tudo o que se sabe deve ser dito. Algumas pessoas não estão prontas para saber a verdade, porque simplesmente se agarram a ilusões, na falsa esperança de manter o que nem se sustenta mais. Tentar argumentar com quem não ouve ninguém além de si mesmo é uma tarefa inglória, que estressa e não traz resultado algum, para ninguém. Deixemos o tempo trazer as verdades, mesmo que já seja tarde demais para consertos ou ajustes.

Da mesma forma, alguns pensamentos devemos guardar para nós mesmos, uma vez que nem sempre estaremos certos. Cada um vive de acordo com as próprias verdades, sejam elas plausíveis ou não, pois dói demais encarar o enfrentamento das ilusões desconstruindo-se à nossa frente. E, caso nossas palavras possam ferir e machucar, sem razão específica, não há por que dizer o que trará dor que não se aproveita. No entanto, se a dor for necessária, escolher as palavras menos doídas será vital.

Muitas vezes, percebemos bem mais do que o outro possa supor, entendendo os comportamentos, olhares, o tom de voz, tudo o que esteja por trás do que se aparenta. Percebemos quando há desinteresse, antipatia, falsidade e segundas intenções ao nosso redor, como se nossos sentidos nos alertassem. Nesses momentos, o mais interessante será nos fingirmos de bobos, para percebermos até que ponto chegará a falsidade alheia. Lembremos que um dia a máscara cairá.

Como se vê, temos que ser prudentes ao compartilharmos o que temos dentro de nós, pois algumas pessoas não merecerão o nosso melhor. Tem gente que não quer dividir, nem somar, sugando e destruindo os caminhos por onde passam. Que sempre caminhemos por entre jardins floridos, com as cores da verdade e o perfume do amor recíproco. Também haverá espinhos, mas a cicatrização será mais rápida. É assim quando se ama.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Marcel Camargo
"Escrever é como compartilhar olhares, tão vital quanto respirar".É colunista da CONTI outra desde outubro de 2015.