As tempestades de poeira que atingiram o interior de São Paulo na sexta-feira, 1º, fizeram ao menos quatro vítimas fatais. Outras seis pessoas ficaram feridas.

Segundo informações do portal Terra, um homem faleceu em Tupã, depois de ser atingido por um muro que caiu com a força do vento. Outras três pessoas faleceram ao serem envolvidas pela nuvem de fumaça e fogo que se levantou quando o temporal atingiu um pasto em chamas, em Santo Antônio do Aracanguá, perto de Araçatuba.

O fenômeno, que já havia atingido o interior no último domingo, 26, deixou cidades paulistas sem energia e em estado de emergência. Em Tupã, a tempestade surgiu com rajadas de vento que derrubaram um muro de uma obra no bairro Reserva Tupã. O trabalhador Fábio Alex Marques Castro, de 42 anos, foi atingido pelos escombros. Levado com ferimentos graves para a Santa Casa da cidade, ele não resistiu. Seu corpo foi velado neste sábado, 2, e sepultado no Cemitério da Saudade.

De acordo com informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as rajadas que levantaram nuvens densas de poeira em várias regiões do interior atingiram mais de 80 quilômetros por hora. A tempestade de areia, conhecida como “haboob”, é causada por temporais de chuva com ventos fortes que, ao entrarem em contato com o solo muito seco, encontram resquícios de queimada, poeira e vegetação. Isso acaba criando um “rolo compressor” de sujeira que pode chegar a até 10 quilômetros de altura.

Na cidade de Santo Antônio de Aracanguá, funcionários de uma usina e de uma fazenda usavam tratores e caminhões-pipa no combate a uma grande queimada quando uma forte ventania atingiu a propriedade, levantando uma nuvem de poeira, fumaça e fogo. Parte das equipes não teve tempo de se abrigar e foi envolvida pela tempestade. Três pessoas – dois funcionários de uma usina e um dos proprietários da fazenda – faleceram.

Outras cinco tiveram ferimentos, queimaduras ou passaram mal por causa da fumaça, sendo levadas para hospitais da região. Além deles, uma mulher ficou ferida após ser atingida pela queda parcial de um telhado, no sábado, em Dracena.

Conforme o diretor de obras da prefeitura de Santo Antônio, Genival Francisco Moreira, o fogo na fazenda estava quase controlado quando a ventania forte avivou as chamas e levantou a nuvem. Ele contou à Polícia Civil que as pessoas ficaram perdidas dentro da fuligem em chamas e da poeira. Uma das vítimas estava em um trator que foi carbonizado. Cerca de 20 bois da fazenda também morreram queimados ou asfixiados pela fumaça. Um inquérito policial vai apurar as causas do incêndio e dos óbitos.

***
Redação Conti Outra, com informações de Terra.
Foto destacada: Reprodução.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.