Professor cria um ‘clube de cavalheiros’ para ajudar os alunos que não tem pai

A cada semana, este professor se encontra com cerca de 60 alunos para passar imposrtantes lições de vida a meninos que não tem uma figura paterna em casa. Os pequenos aprendem sobre respeito às mulheres e às pessoas mais velhas, gentileza e cordialidade.

CONTI outra

O protagonista dessa história é Raymond Nelson, professor da Memminger Elementary School, na cidade de Charleston, na Carolina do Sul, Estados Unidos. Além de dar suas aulas regulares, ele também decidiu criar um ‘Clube de Cavalheiros’ para ajudar as crianças quem não têm seus pais em casa por razões diferentes.

Desta forma, todas as quartas-feiras cerca de 60 alunos vêm ao clube em trajes semiformais para aprender sobre diversos temas e lições de vida, sob o lema: “Mantenha-se bem alinhado, sinta-se bem, faça o bem”. Em uma entrevista à WCSC-TV, Raymond explicou: “Sei que muitos de meus alunos têm dificuldade porque não têm uma figura paterna em casa, então só quero que cresçam e pensem nas coisas que lhes ensino.”

Além disso, o professormencionou que a cada semana conversam sobre temas diversos, como: como tratar os idosos, respeito às mulheres, cavalheirismo, cumprimentos cordiais, entre outras pequenas lições do dia a dia.

O professor Raymond conytou que o Gentlemen’s Club está tendo um impacto importante na vida dos mais pequenos e isso também se refletiu na participação nas aulas: “muitos dos meus alunos têm melhor desempenho quando sabem que alguém se preocupa com eles ”.

O professor Raymond também mencionou que quando ele estava na escola primária, sua mãe o encorajou a se juntar a um grupo semelhante e disse que “isso me ajudou a ser um homem melhor e agora posso compartilhar esse conhecimento com as crianças”. Por este motivo, a professora está convicta de que o ‘Clube de Cavalheiros’ agora denominado ‘Crianças com Propósito’, é uma grande oportunidade para ajudar as crianças a terem integridade e respeito por si mesmas e pelos outros, apesar das situações que vivem em casa.

Por fim, Raymond disse que espera que outras escolas criem clubes semelhantes para ajudar meninos e meninas que crescem sem a figura paterna ou materna, pois pertencer a tal grupo pode ser decisivo para o futuro dos jovens.

***
Redação Conti Outra, com informações de Nation.
Fotos: Reprodução.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.