Rafaela Luciene Motta Ferreira é uma Policial Civil, de 40 anos, que foi presa pela 4ª vez devido à descomprimento de medida restritiva. O pedido foi feito pela corregedoria da corporação e determinado pela Justiça, após a agente furar os pneus e esfaquear um de seus ex-namorados, no domingo (28).

Foto: Arquivo pessoal

A mulher foi detida nesta quarta-feira (1º), na casa de familiares, na Asa Norte. A princípio, Rafaela recusou se entregar e pediu a presença de um advogado antes de concordar em ir para cadeia.

“Infelizmente, ela em liberdade seria um risco para o ex, para outras pessoas e para si própria”, diz o corregedor da Polícia Civil do DF, Adval Cardoso. A agente será encaminhada à Penitenciária Feminina do DF, conhecida como Colmeia.

O caso aconteceu na madrugada de domingo (28), quando Rafaela foi ao endereço da vítima também na Asa Norte e, no estacionamento, furou os pneus de dois carros dele. O homem notou o que estava acontecendo e desceu para conter a policial.

De acordo com os investigadores, a vítima conseguiu derrubar a agente no chão, mas levou duas facadas e até mesmo uma mordida no peito. Em seguida, ele conseguiu conter a agente, até que a Polícia chegasse.

Momento em que policial stalker é presa, depois de furar pneus de carro e esfaquear ex-namorado, no DF — Foto: Arquivo pessoal

A versão de Rafaela foi outra, em depoimento, ela contou que “passou ocasionalmente pela rua do ex-namorado e que o homem correu e pulou em cima dela”. Também de acordo com a mulher, ele se machucou com um canivete ao tentar agredi-la. A policial também nega ter furado os pneus dos carros da vítima.

O Corpo de Bombeiros foi responsável pelo socorro do ex-namorado, que tinha apenas ferimentos leves. Aos investigadores, ele contou que já registrou “várias” ocorrências contra Rafaela, inclusive por ela já ter furado pneus dos carros dele. O caso é investigado como lesão corporal e dano.

Na casa de Rafaela, a Polícia Civil apreendeu um diário escrito à mão que continha supostas ameaças feitas a ex-namorados dela. O caderno foi encontrado em julho passado e, conforme a investigação, estava na casa da policial. “Vou pagar quantos assassinos de plantão forem necessários para acabar com a vida de todos eles”, está escrito em uma das páginas.

Foto: Reprodução

Antes disso, Rafaela já havia sido presa e condenada por crimes cometidos contra outros ex-namorados.  Em 2018, um ex-namorado acusou a policial de perseguição e contou que a mulher chegou a ligar 98 vezes, em um único dia, para ele. O homem disse que havia conhecido a agente por meio de um aplicativo de relacionamentos.

Com informações de G1

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.