Policiais alimentam homem em situação de rua que estava há dois dias sem comer

“Aqueles policiais, eles não importaram com a farda que eles estavam carregando, pelo contrário, eles fizeram jus a ela. Eles demonstraram que realmente eles estão aqui para servir a sociedade, independente de quem seja”, disse a estudante que fez a foto.

CONTI outra

Viralizou nas redes sociais ao longo desta semana um registro fotográfico que exemplifica da melhor maneira o conceito de solidariedade Na imagem, se vê dois policiais, que fazem o curso de formação de soldados, em Ipatinga (MG), alimentando um homem com deficiência que vive em situação de rua. Eles estavam no Centro da cidade, auxiliando no reforço da fiscalização da onda roxa — a medida mais restritiva do programa implantado pelo Estado de Minas Gerais, para combater o novo coronavírus.

A autora do flash foi a estudante Amanda Carolina. Ela estava indo para o estágio, quando notou a movimentação de pessoas e resolveu ajudar. Ela começou a conversar com o homem deitado no canteiro da praça e ofereceu a ele uma maçã que tinha na bolsa. Logo em seguida, dois policiais se aproximaram.

“Ele falou que estava com fome, então, imediatamente ele [um dos policiais] começou a alimentar o senhor. Na hora que eu vi aquilo, eu falei assim: ‘eu nunca vi isso aqui na minha vida’”, contou.

Um dos policiais é o soldado Diego Messias Leal. Ele relatou que o homem tinha fome e estava passando mal.

“Ele nos relatou que não estava simplesmente só passando mal, ele estava com muita fome. Ele tem uma certa deficiência e não consegue se locomover sozinho. A princípio, pelas perguntas que fizemos para ele, ele chegou aqui rastejando”, contou o soldado.

O outro policial disse que se sentiu comovido ao ouvir as dificuldades do homem e logo resolveu ajudar.

“O que surpreendeu a gente foi quando ele nos comoveu, dizendo que ele não conseguia se alimentar sozinho. Aí tivemos a iniciativa de abrir a marmita e sanar a dificuldade dele naquele momento”, disse o soldado Weliton de Caldas Rodrigues.

“No momento que a gente estava alimentando ele, ele estava comendo de maneira rápida. Então, falamos ‘pode comer tranquilo, tem tempo’. Nesse momento, a gente fez o acionamento da ambulância e ele foi e começou a chorar. Então, eu perguntei ‘por que o senhor está chorando’? Então, ele falou que estava com fome, mas havia dois dias que ele não se alimentava de maneira alguma”, completou Diego.

As fotos rapidamente viralizaram na internet por representarem a atitude empática que muitas pessoas esperam daqueles que trabalham na Polícia.

“Aqueles policiais, eles não importaram com a farda que eles estavam carregando, pelo contrário, eles fizeram jus a ela. Eles demonstraram que realmente eles estão aqui para servir a sociedade, independente de quem seja”, parabenizou Amanda.

Diante da proporção que a atitude em ajudar o morador em situação de rua tomou, os policiais ficaram surpresos com o resultado.

“A gente não imaginava essa repercussão toda. No momento, só agimos com o instinto de ser humano e em prol da ajuda do senhor Gesser. A gente estava fazendo nosso serviço como policial mesmo, mas eu acredito que qualquer um poderia estar fazendo isso”, afirmou Diego.

***
Redação Conti Outra, com informações de G1.
Fotos: Reprodução/Redes sociais.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.