Polícia apura crime de preconceito racial em fala de Rodolffo sobre o cabelo de João no BBB

O cantor comparou o cabelo do brother à peruca que usava de homem das cavernas. O professor desabafou em rede nacional no programa de segunda-feira.

Ana Carolina Conti Cenciani

Após toda a repercussão do acontecimento, a Secretaria de Polícia Civil do Rio de Janeiro abriu um procedimento nesta terça-feira (6) para investigar se houve crime de preconceito racial cometido por um participante no Big Brother Brasil 21.

Foi no programa de segunda-feira que o professor e geógrafo Joao Luiz Pedrosa desabafou durante o “Jogo da Discórdia” sobre as falas do cantor sertanejo, Rodolffo, sobre o seu cabelo. A dinâmica do programa em que os participantes opinam sobre o comportamento dos outros, abriu uma oportunidade para que os Brothers discutissem sobre o que ocorreu.

A fala que incomodou João foi no momento em que Rodolffo comparou seu cabelo à peruca que estava usando como fantasia de homem das cavernas, para a dinâmica do Monstro. O professor chegou a chorar durante o desabafo em rede nacional.

Já o cantor primeiro se mostrou surpreso, e logo em seguida reafirmou sua fala, dizendo que quem olhasse bem os cabelos ia ver que era mesmo semelhante. Depois de criticado por outros participantes, Rodolffo pediu desculpas e comentou que seu pai tinha um cabelo parecido.

A associação que Rodolffo fez e sua postura depois que João colocou o assunto em pauta foram interpretadas como atos racistas por João, outros participantes e muitos telespectadores. O assunto gerou polêmica nas redes sociais.

Big Brother Brasil // Globo

Em nota, a Polícia Civil informou que “de acordo com a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (DECRADI), foi instaurado procedimento para apurar o crime de preconceito racial. Imagens estão sendo analisadas e as investigações seguem em andamento”.

Rodolffo está no “paredão”, junto com sua dupla Caio e com o conhecido “Gil do Vigor”. Um dos três será eliminado na noite de hoje (terça, 6).

Big Brother Brasil // Globo

Com informações de G1

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES




COMENTÁRIOS




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 20 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui matérias que são boas de se ler.