Nego Di poderia ter repetido Prior na disputa e permanecer junto de Lucas, seu aliado das vitórias nas primeiras provas. Poderia ter sido grato a quem o defendeu desde o começo.Poderia ter reencenado a emocionante amizade com Babu na edição anterior do BBB.Poderia ter encontrado a imunidade da consciência. Poderia ter conhecido a justiça do tempo, a consagração da paciência. Poderia ter se posicionado como escudo na frente do mais fraco, não deixando que acontecesse perseguição a alguém indefeso e desesperado.

Poderia ter se sensibilizado com a falta de chão dos excluídos e combater a fofoca, o boato, a intriga. Poderia ter virado a mesa ou trocado de cadeira. Poderia ter feito uma história diferente, não vetando Lucas na prova do líder, não aumentando a sua vulnerabilidade, estopim da saída do ator. Poderia ter tido mais respeito com o sotaque da paraibana Juliette, já que ele tem sotaque e sofreu preconceito por ser gaúcho. Poderia até ter sido uma planta, imóvel, porém respeitando o espaço dos demais.

Mas optou por estar próximo do poder e da influência, da fama e dos canceladores, do jogo acima de tudo. Preferiu estar no camarote à pista, olhando os colegas de cima, com nariz empinado. Preferiu a pulseira vip à laje, à xepa, às suas origens. Caminhou para a direção errada da empatia. Escolheu a facilidade e o conforto da opressão, jamais o enfrentamento desgastante e heroico para conter o bullying.

Assim enganou e foi enganado. Porque se contasse com algum amigo leal, Karol não indicaria Sarah ao paredão, sabendo que sobraria para Nego Di.

Ela entregou a sua cabeça numa bandeja de prata. Se gostasse realmente dele e menos de si mesma, escolheria qualquer participante para evitar a retaliação direta. Não houve lealdade, idêntica a que impregna o cuidado entre Gil e Juliette.

Nego Di poderia ter sido a alegria da casa, dando o exemplo da autocrítica, mas quis fechar a cara e debochar dos defeitos dos outros.

A maior rejeição do programa está agora à sua espera. Absolutamente sozinho contra todos.

Talvez descubra uma lição na eliminação: ninguém escolhe ficar ao lado das más companhias sem se ver um pouco nelas. É preciso ser atento com os excessos da vaidade.

__ Fabrício Carpinejar

Abaixo, a publicação oficial do autor

PODERIA TER SIDO TÃO DIFERENTE

Fabrício Carpinejar

Nego Di poderia ter repetido Prior na disputa e permanecer junto…

Publicado por Fabrício Carpinejar em Segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

Ouça também o Podcast da Conti outra sobre o BBB21.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.