Pessoas são caminhos

Hoje eu sei que é muito importante saber escolher os caminhos pelos quais andamos. Que é muito importante prestar atenção para onde estamos indo e ler todas as placas que avisam onde cada caminho vai dar.

Hoje eu sei. Hoje eu entendo perfeitamente que pessoas são caminhos. Que todas nos levam a algum lugar. Eu, você, o outro, cada um de nós é um caminho diferente.

Hoje eu sei que é muito importante saber escolher os caminhos pelos quais andamos. Que é muito importante prestar atenção para onde estamos indo e ler todas as placas que avisam onde cada caminho vai dar. As placas são importantes, mas quase sempre temos a estranha mania de duvidar daquilo que parece óbvio.

Hoje eu sei, mas eu não imaginava que tem gente que é caminho que não dá em lugar algum. Que tem gente que é tempo perdido. Que há quem nos faça caminhar e caminhar para nada. Daí a gente tem que voltar e, de novo, escolher. Dessa vez com sabedoria.

Tem caminho curto. Tem caminho que não tem fim. Tem caminho labirinto. Tem caminho que é de isopor. Tipo aquele cenário que parece lindo, mas é falso e vazio.

Ah, também há o contrário, felizmente. Tem gente que é jardim florido e perfumado. Tem gente que é café da tarde no interior. Tem gente que é mar quentinho e sem onda. Tem gente que é caminho macio e rede mansa. Tem gente que é luz e reparação. Hoje eu sei.

Tudo isso está lá, bem no começo. Não existe armação. Todo caminho sempre se anuncia antes mesmo de começar. A gente só precisa prestar atenção e ler com cuidado. A gente só precisa saber o que quer. Para quem não sabe o que quer qualquer caminho serve. Lembra?

Eu tenho comigo que meu próximo caminho será um repleto de pinheiros, daqueles que aparecem em filmes. Que o som deles ao vento vai ser sinfonia para meus ouvidos. O meu novo caminho vai ter uma floresta linda e eu vou pegar as pinhas do chão e fazer guirlandas de Natal com elas para lembrar que sempre haverá coisas boas para celebrar.

Hoje eu sei o caminho que procuro. No meu caminho de pinheiros vou tirar meus calçados e caminhar sentindo uma maciez delicada sob meus pés. Quero nele um chão de folhas verdes como se a vida tivesse preparado para mim um colchão macio de boas expectativas.

Quero no meu próximo caminho um cheiro adocicado de liberdade, chuva gostosa e brisa mansa que me leve até um abrigo com lareira acesa e mesa farta. Eu vou me permitir então, sem culpas, o deleite de pernas esticadas e pés dentro de escalda-pés.

Nesse meu caminho eu serei o caminho de quem me souber amar e vou deixar que o amor passeie feliz por mim. Quero que aquele que decida se enveredar por mim sinta-se seguro e feliz. Que eu possa levá-lo de encontro aos seus mais profundos anseios. Porque a gente tem que saber ser caminho também.

Hoje eu sei, eu aprendi a ver. Eu caminhei bastante até entender. Sou grata pelo passado, mas não vou negar ao meu futuro escolhas melhores e a possibilidade real de viver tudo aquilo que a minha vontade alcançar. Hoje eu sei o que quero. Hoje eu venho te contar sobre os meus caminhos para que você entenda que é muito importante escolher os seus com sabedoria. Que é muito importante também ser um caminho bom para alguém.

Acompanhe a autora no Facebook pela sua comunidade Vanelli Doratioto – Alcova Moderna.

Atribuição da imagem: pixabay.com – CC0 Public Domain

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Vanelli Doratioto
Vanelli Doratioto é uma escritora paulista, amante de museus, livros e pinturas que se deixa encantar facilmente pelo que há de mais genuíno nas pessoas. Ela acredita que palavras são mágicas, que através delas pode trazer pessoas, conceitos e lugares para bem pertinho do coração.