Para as irmãs, a distância não importa: elas são unidas pelo coração

Irmãs, nascemos da mesma árvore e, embora nossos ramos sigam em uma direção diferente, nossas raízes permanecem as mesmas.

CONTI outra

As irmãs não se importam com o tempo ou a distância. Aquelas caras que compartilham gestos semelhantes e da mesma forma que rir novamente olhar com a cumplicidade de sempre, intuindo tudo o que não dizer as palavras, e nutridas, mais uma vez, que o vínculo invisível que habita de modo duradouro em seus corações.

Todos nós sabemos que o relacionamento fraterno é geralmente um sistema de apoio único e excepcional. Nossos irmãos são aqueles membros da família que, com toda probabilidade, vão coexistir conosco ao longo do ciclo da vida.

Compartilhamos um passado, experiências e um legado emocional que geralmente é construído de uma maneira particular no caso das irmãs. O vínculo entre irmãs traz para nós o eco daqueles anos de infância habitados por lutas por roupas, por detestar ser o mais velho ou por odiar ser o menor.

O vínculo entre as irmãs é agora nutrido pelo amor que não expira, que não compreende distâncias e que preocupa a cada dia o bem-estar um do outro.

De acordo com um estudo realizado na Universidade de Illinois, a relação entre irmãos pressupõe que o primeiro contato que uma criança tem com um igual. É algo essencial que os pais devem considerar.

Por outro lado, a coisa mais curiosa sobre o vínculo entre as irmãs é que geralmente é algo complexo durante os primeiros anos da infância. No entanto, quando a maturidade chega, esse relacionamento se torna um pilar maravilhoso, uma aliança excepcional. Nós convidamos você a mergulhar no assunto.

As irmãs, entre amor e rivalidade

É importante especificar, em primeiro lugar, que as relações familiares são entidades muito complexas e têm, como é normal, suas próprias particularidades.

Isso significa que, obviamente, nem todas as irmãs desfrutam desse vínculo positivo e enriquecedor. No entanto, às vezes, superar muitas dessas situações problemáticas envolve iniciar um processo apropriado de cura pessoal.

Existe um livro muito interessante que se aprofunda precisamente neste tópico. São irmãos e irmãs que descobrem a psicologia do companheirismo (irmãos e irmãs, a descoberta da psicologia da empresa), da psicóloga Lara Newton. Nele ele nos fala sobre essa perspectiva diferencial onde, às vezes, a relação entre irmãs oscila entre a rivalidade e a mais intensa afeição.

O que pode determinar a complexidade de seus relacionamentos

. O contexto familiar e educacional em que crescemos pode afetar a relação entre as irmãs (estereótipos de gênero, preferência de um filho por outro …)

. Nos primeiros anos, a ordem de nascimento também aumenta a diferença entre eles. O ciúme pode aparecer, mas, por sua vez, um instinto protetor da irmã mais velha pode surgir sobre o menor.

. Crescer com as irmãs significa, por sua vez, passar por diferentes ciclos em que amadurecem como mulheres, aprendendo umas com as outras. Desta forma, surge pouco a pouco uma ligação baseada na cumplicidade, na cura e no apoio indiscutível que eles oferecem um ao outro e que geralmente dura ao longo do tempo.

O apoio emocional entre as irmãs

Os anos se passaram e lá ficaram aquelas leituras furtivas dos diários secretos de nossas irmãs, roubando roupas de seus armários ou escutando suas conversas ao telefone.

Agora, podemos apontar o dedo para o lugar que eles ocupam em nossa alma e dizer em voz alta o que eles são essenciais em nossa vida. Apesar da distância, apesar do fato de que habitamos nossos mapas pessoais com nossas próprias famílias, com nossos próprios projetos.

Irmãs, nascemos da mesma árvore e, embora nossos ramos sigam em uma direção diferente, nossas raízes permanecem as mesmas.

As irmãs, acredite ou não, são estrategistas adeptos quando se trata de conceder apoio emocional. A união entre eles vai além dos genes. São âncoras que estão enraizadas nas profundezas de uma história comum que vem tecendo cúmplices e laços duradouros.

Basta um olhar para que as bússolas emocionais das irmãs possam detectar desapontamentos, tristezas ou ilusões. Poderíamos dizer quase sem cometer erros, que o vínculo com nossas irmãs melhora nossa qualidade de vida por esse apoio emocional incombustível.

Um suporte essencial

As irmãs nos dão segurança, têm fé em nossas habilidades e nos lembram de nossas falhas, daquelas que arrastamos desde a infância e que ainda não transformamos.

Eles também são os que nos dão os melhores conselhos e as advertências mais sábias, aqueles que não têm linguagem e não brilham por causa de sua falsidade ou condescendência. Eles querem o melhor para nós. E queremos ter esse apoio sempre, apesar do fato de que, às vezes, discutimos e nos lançamos diante de aspectos do passado.

Agora, na maturidade, nossas irmãs também podem nos fazer assumir um papel novo e igualmente excitante: o dos tios e tias. Um momento em que essa rede de sentimentos e apoios se alarga ainda mais, descobrindo-nos de novo, o grande tesouro que supõe ter uma irmã.

Tradução A Soma de Todos os Afetos, via La mente es maravillosa

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.