Pandemia de coronavírus faz servidores levarem crianças de abrigo para casa em Florianópolis

Ninguém fica desamparado! Estamos vivendo dias extremamente difíceis devido à pandemia de covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. E agora, mais do que nunca, é preciso olhar por todos, principalmente pelos que podem estar mais vulneráveis. Só vamos sair dessa se estivermos juntos!

REDAÇÃO CONTI outra

Estamos vivendo dias extremamente difíceis devido à pandemia de covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Agora, mais do que nunca, é preciso olhar por todos, principalmente pelos que podem estar mais desamparados. E foi exatamente isso o que alguns servidores da prefeitura de Florianópolis fizeram ao solicitar na justiça a autorização para levar para suas próprias casas crianças e adolescentes que estavam em um abrigo da cidade. A melhor notícia: a Justiça autorizou o pedido!

A autorização saiu na última quarta-feira (18) e seis crianças que estavam na Casa de Acolhimento para Meninos, no bairro Abraão, foram acolhidos nas casas de servidores para passar o período de quarentena. A medida foi tomada por prevenção, pois havia risco de contaminação de funcionários e crianças no abrigo.

A solicitação tinha sido feita ao Ministério Público e ao Juizado de Infância e Juventude da Capital, que autorizaram a medida. As seis crianças então foram levadas pelas famílias e o local agora se encontra fechado até o retorno das atividades, quando o período de quarentena em Santa Catarina terminar.

O prefeito da cidade, Gean Loureiro destacou a nobreza da atitude dos servidores: “Foi uma demonstração de solidariedade nesse momento difícil. A gente pôde fechar o abrigo dos meninos nesse momento, e assim eles ficaram acompanhados numa casa, em segurança, com a família dos servidores.”

Maria Cláudia Goulart, que é secretária de Assistência Social, conta que a movimentação foi organizada pelos próprios servidores do abrigo com os meninos que estavam no local. As crianças têm entre 12 e 17 anos e foram levadas para as casas dos servidores que já tinham um vínculo com elas e trabalhavam no orfanato.

Uma atitude como esta merece muitos aplausos. É em momentos como estes que nós conhecemos o verdadeiro coração das pessoas.

***

Redação Conti outra. Com informações de nsctotal

Photo by VisionPic .net from Pexels

 

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.