Padre peruano adota bebê abandonado com síndrome de Down

“Obrigado pelo presente que você me deu no meu aniversário, Jesus! Você nunca deixa de me surpreender, meu Jesus”, disse o padre por meio de sua conta no Facebook.

CONTI outra

O Padre Omar Sánchez Portillo é o diretor de um abrigo para crianças, adolescentes e idosos localizado em Lima, no Peru. Através desta instituição, chamada Associação das Bem-aventuranças, este sacerdote tem ajudado muitas crianças e idosos que se aproximam dele depois de serem maltratados e / ou abandonados, dando-lhes um novo lar e uma nova oportunidade de progredir na vida. Um homem que dedicou toda a sua existência terrena a ajudar os que se encontram nas situações mais vulneráveis.

A história de vida do padre Omar é inspiradora e surpreendente. A última surpresa aconteceu no dia em que ele comemorava seu 51º aniversário. Foi nesse dia que um bebê, o pequeno Ismael, surgiu em sua vida. O menino, de apenas dois meses de vida, tem síndrome de Down e foi abandonado por sua mãe, uma adolescente de 17 anos que tem esquizofrenia não tratada e problemas com álcool. Diante disso, o padre Omar Sánchez Portillo não hesitou em providenciar a colhida adequada à criança em seu abrigo, tratando-o como seu presente de aniversário enviado por Jesus.

“Obrigado pelo presente que você me deu no meu aniversário, Jesus! Você nunca para de me surpreender, meu Jesus. Bem-vindo Ismael! Trazê-lo de Cusco foi uma aventura e tanto, a primeira de muitas que viveremos juntos. Cromossomo do amor, síndrome de Down”, disse o padre Omar Sánchez Portillo , por meio de sua conta no Facebook.

Por meio de sua Associação das Bem-aventuranças, o clérigo peruano jpa abrigou 217 pessoas, entre crianças adolescentes e idosos em situação de abandono. Além disso, conta com uma equipe formada por 80 voluntários sempre dispostos a ajudar.

“Ela [a mãe do bebê] foi ao hospital para dar à luz. Aparentemente ela teve uma gravidez ruim, deu à luz e o deixou abandonado. O Ministério conhece o nosso trabalho, o perfil dos meninos que recebemos e nos chamou para recebê-lo. Eu mesmo aceitei essa responsabilidade (…) Veio num dia muito especial, no meu aniversário, como um detalhe especial de Deus na minha vida sacerdotal, como fecundidade, como pai espiritual, como ser humano. É um detalhe muito particular de Deus”, disse o clérigo peruano à imprensa local.

***
Redação Conti Outra, com informações de UPSOCL.
Fotos: Facebook/Omar Sánchez Portillo.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.