O padre Paulo Müller, de 85 anos, viveu um momento muito especial no último mês. Ele celebrou o casamento do próprio neto, Ânderson Martins Müller, em uma igreja de Porto Alegre.

Ao UOL, o engenheiro químico de 31 anos contou que ele e a mulher, Rafaela Pilla Muccillo, 30, já sabiam que queriam que o seu avô celebrasse a união desde que decidiram se casar, em 2019. No entanto, a ideia quase foi abandonada deviso às regras da Igreja Católica, pois o casal não queria fazer a cerimônia em um espaço religioso, mas sim no local onde a festa seria realizada.

À princípio, eles acataram o impedimento imposto pela Igreja e seguiram com os planos de uma cerimônia ecumênica, mas foram pegos de surpresa pelos inúmeros adiamentos da data do casamento devido à pandemia.

“A primeira data que tínhamos escolhido para celebrar era outubro de 2020, e tivemos que postergar. Até que no começo desse ano, marcamos a nova data para 14 de maio, e aí definimos que faríamos uma cerimônia na igreja também, para podermos contemplar a participação do vô nesse momento singular. Ele foi a primeira pessoa para quem entregamos o convite com a nova data, e já informamos que iríamos fazer a celebração na igreja, e que gostaríamos que ele fosse o responsável por esse momento”, contou Ânderson ao UOL.

Segundo o noivo, seu avô sempre teve vocação religiosa e, durante a juventude, se engajava nas atividades da igreja. Porém, seus planos mudaram drasticamente após ele conhecer a esposa, Lizzete, com quem foi casado por 29 anos e teve quatro filhos. Depois do falecimento dela, nos anos 1990, Paulo, que já era diácono, resolveu continuar os estudos religiosos para se tornar padre.

Ele ainda precisou de uma autorização especial do Vaticano para assumir a função, pois já tinha sido casado.

“Por ser um pedido relativamente inusitado, esse tipo de solicitação deve ser levado ao Papa — ao menos foi o que aconteceu na época, não sei especificar se hoje ainda ocorre dessa forma. O bispo, na ocasião, levou a demanda e o papa autorizou a ordenação dele como padre”, contou Ânderson.

O neto fez muitos elogios ao texto que o avô preparou para sua cerimônia, contando que o religioso destacou a necessidade de fidelidade, companheirismo e amor em suas palavras para o casal.

“Os presentes puderam presenciar os ensinamentos de quem já viveu a vida de casal e que hoje pode orientar novos casais quanto às responsabilidades envolvidas em um sacramento tão importante”, afirmou o engenheiro.

***
Redação Conti Outra, com informações UOL.
Foto: Reprodução.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.