Existem países onde se mantêm antigos costumes que ameaçam a integridade das pessoas. A afegã Parwana Malik, de 9 anos, foi vítima de um destas “tradições”, quando tentaram forçá-la a casar-se ainda criança. Felizmente, ela foi resgatada a tempo.

“Estou muito feliz”, contou Parwana enquanto era resgatada por um grupo de ajuda que salva meninas do casamento infantil. “A (organização de caridade) me livrou do meu marido e meu marido está velho”.

Segundo a CNN, Parwana, assim como várias outras meninas menores de idade no Afeganistão, tinha sido vendida por seu pai para que o resatante de sua família tivesse que comer.

Abdul Malik, o pai de Parwana, contou à CNN que a menina chorou dia e noite e chegou a implorar para não ser vendida, dizendo que sua vontade era ir para a escola e estudar.

Depois que uma reportagem da CNN divulgou o caso de Parwanna, houve um clamor internacional e uma forte reação da comunidade contra o pai da criança e contra o  comprador, o que fez com que a menina fosse finalmente devolvida à sua família.

Além disso, uma organização sem fins lucrativos sediada nos Estados Unidos, a Muito Jovem Para Se Casar (TYTW, na sigla em inglês) se encarregou de instalar as meninas, seus irmãos e suas mães em uma casa segura.

“É uma solução temporária”, afirmou Stephanie Sinclair, a fundadora da TYTW. “O que estamos tentando fazer é impedir que as meninas sejam vendidas para o casamento”.

Após o resgate de Parwanna, a família passou duas noites em um hotel, depois foi transferida pela ONG para um esconderijo próximo.

“Estou tão feliz nesta casa”, disse Parwana. “Eles me deram uma nova vida”.

“Estou feliz e segura aqui”, completou a mãe, Reza Gul. “Meus filhos estão comendo bem desde que chegamos, estão brincando e estamos felizes”.

***
Redação Conti Outra, com informações de UPSOCL e CNN Brasil.
Fotos: CNN.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.