ONG criada por Sean Penn doará 10 milhões para ajudar Rio a combater pandemia

A Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou nesta segunda-feira (26) que a ONG Core, criado pelo ator Sean Penn, irá investir R$10 milhões em iniciativas para tentar frear a escalada do coronavírus na cidade.

REDAÇÃO CONTI outra

Sean Penn, de 60 anos, é bastante conhecido por sua bem-sucedida carreira de ator em Hollywood, tendo inclusive já ganhado dois Oscars – em 2004, pelo filme ‘Sobre Meninos e Lobos’, e em 2009, por seu trabalho em ‘Milk – a voz da Igualdade’ – , mas o que poucos sabem é que o ator também é um dedicado ativista e até criou uma ONG em 2010, a Core (sigla em inglês para Community Organized Relief Effort, ou em português, Esforço de Ajuda Organizado pela Comunidade).

Sean Penn estará em novo filme de Paolo Sorrentino

À princípio criada para ajudar as vítimas do terremoto do Haiti, a Core expandiu sua área de atuação e abraçou diversas outras causas. Mais recentemente, a ONG criada por Sean Penn decidiu estender a mão ao Brasil neste período delicado que o país enfrenta durante a pandemia de coronavírus. A Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou que a ONG irá investir 10 milhões em iniciativas para tentar frear a escalada do coronavírus na cidade.

“A ONG, fundada pelo ator Sean Penn inicialmente doará 5 milhões de reais ao combate ao coronavírus no Rio, com montagem de novos postos de vacinação e testagem e contratação de profissionais”, disse a Secretaria de Governo da cidade, comandada por Marcelo Calero, em nota.

“Outros 5 milhões de reais estão em negociação para a compra de medicamentos para intubação, podendo chegar a um investimento total de 10 milhões de reais”, acrescentou a pasta.

Segundo informações divulgada pela Veja Rio, integrantes da Core desembarcam nesta segunda-feira (26) na cidade, e a previsão é que no sábado (1) o posto de vacinação do Parque Olímpico, na Barra, comece a ter sua capacidade de atendimento ampliada, assim como o posto da quadra da Portela, em Madureira.

Os recursos da ONG também serão usados a criação de macropolos na UPA de Manguinhos, na quadra da Mocidade, em Padre Miguel, e na Vila Olímpica do Alemão. Será esta a primeira iniciativa da organização durante a pandemia para além das fronteiras dos Estados Unidos, onde tem atuado fortemente em parceria com os governos locais.

No Rio de Janeiro, a Core ficará responsável pelas estruturas e pela contratação de pessoal para atuar nestes macropolos, o que deve ser feito em caráter de urgência.

***
Redação Conti Outra, com informações de Isto É Dinheiro e Veja Rio.
Fotos: Reprodução.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES




COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.