O laudo do óbito da cantora de forró Paulinha Abelha, divulgado pela reportagem do programa “Domingo Espetacular”, da Record TV, aponta que quatro doenças estão ligadas às causas do falecimento. São elas: meningoencefalite, hipertensão craniana, insuficiência renal aguda e hepatite.

O painel toxicológico acusou a presença de 16 substâncias no organismo da cantora sergipana. Entre elas, anfetaminas e barbitúricos, que podem ter levado a complicações de seu estado de saúde.

Um dos medicamentos encontrados no organismo da cantora é um tarja preta que costuma ser usado no tratamento do Transtorno do Déficit de Atenção (TDAH), mas que causa efeitos adversos, como redução de apetite, perda de peso, náuseas e vômito.

Esse medicamento foi receitado por sua nutróloga, juntamente com outros fármacos, como redutor de apetite, calmantes naturais, estimulantes, cápsulas para memória e uma fórmula que promete reduzir medidas, manipulada com a erva asiática garcinia cambogia.

Um médico que foi consultado pela reportagem do Domingo Espetacular informou que essa erva já foi associada a graves danos ao fígado.

Paulinha Abelha faleceu no dia 23 de fevereiro, depois de ficar 12 dias internada. Ela foi sepultada no cemitério de sua cidade natal, Simão Dias.

***
Redação Conti Outra, com informações de Catraca Livre.
Fotos: Reprodução/Redes Sociais.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.