“O que negas te submete. O que aceitas te transforma”

Eu gosto muito de ler os escritos do grande psiquiatra e psicoterapeuta Carl Jung.

Eu gosto muito de ler os escritos do grande psiquiatra e psicoterapeuta Carl Jung. Os seus estudos nos ajudam a compreender a mente humana com muito mais profundidade e também nos ajudam a curar as nossas mazelas de dentro pra fora, levando consciência ao que antes era inconsciência.

Uma das suas passagens bastante conhecidas fala sobre o poder da ACEITAÇÃO na nossa vida. Como até já falei em textos anteriores, a aceitação é uma das LEIS UNIVERSAIS, e ao ter esse conhecimento transformado em sabedoria, a nossa vida certamente pode dar um enorme salto de qualidade. Vamos a ela?

“Aqueles que não aprendem nada sobre os fatos desagradáveis de suas vidas, forçam a consciência cósmica que os reproduza tantas vezes quanto seja necessário, para aprender o que ensina o drama do que aconteceu. O que negas te submete. O que aceitas te transforma. “
Carl Jung

Essa é uma passagem muito profunda e verdadeira. Aprender e aplicar na vida a lei universal da aceitação nos faz literalmente “mover montanhas” interiores. É impressionante o número de pessoas que distorce as palavras de Jesus. Eu acabei de dizer o real significado desta frase célebre: “Aquele que tiver a fé do tamanho de um grão de mostarda poderá mover montanhas, poderá fazer as mesmas obras que eu faço, e as farão ainda maiores”. Jesus estava falando da montanha chamada INCONSCIENTE, que ocupa cerca de 95% da nossa realidade. Quando eu incido luz sobre as sombras do meu inconsciente, estou movendo minhas montanhas de medo, de raivas, de rancores, mágoas, apegos, ciúmes e por aí vai…

O processo de aceitação consiste em ter essa humildade de reconhecer que algo está errado ou desequilibrado, e desta forma se mover passinho a passinho numa mudança de atitude, de comportamento, de sentimento…

Para entendermos melhor, vou citar um dos exemplos mais comuns. As pessoas que nunca conseguem encontrar um namorado ou namorada fiel. Na grande maioria das vezes são pessoas inseguras, com uma autoestima deplorável e carentes afetivamente. Elas não entendem bem, mas essas carências são fruto de uma infância que teve falta de afeto dos pais, ou ausência por “n” motivos. Então, ao se relacionar amorosamente com alguém, se apegam tanto à outra pessoa que isso sufoca. Esse sufocamento leva a pessoa a se sentir “presa”, e esse desequilíbrio favorece a traição. Ah! Tem um detalhe aqui, viu?

A maioria dessas pessoas tem pensamentos terríveis de que perderão a pessoa amada, elas dizem internamente assim: “Ai meu Deus, será que o meu namorado vai me querer mesmo? Eu não posso perder o meu namorado, ele é tudo pra mim, não consigo viver sem ele…”. Você percebe o drama? Isso é drama demais meus amigos!

Ainda relacionado a isso. Outra possibilidade bastante comum são jovens que presenciaram durante toda a infância a infidelidade através dos próprios pais. Viram seus pais com amantes, ou se separaram, ou então terminaram e voltaram etc. etc. Para uma criança, os referencias de vida são os pais, então ao presenciarem isso, muitas crianças crescem com os mesmos padrões de pensamento, por isso acabam de relacionando com pessoas infiéis e que as destratam. Desta forma um CICLO VICIOSO é criado, consegue perceber? Os pais são desequilibrados, geram filhos desequilibrados, que se casam aos trancos e barrancos, gerando filhos ainda mais desequilibrados e isso vai se perpetuando.

Como dar um fim nisso? Um basta em tanto desequilíbrio? Como eu sempre digo! Buscando o autoconhecimento, a luz, a transformação de vida.

Eu falei do Jung não foi? Que tal pesquisar na internet um pouco mais sobre suas teorias, sobre suas ideias geniais? Isso pode ajudar e muito!

Ampliar as referências é uma forma absolutamente incrível para uma transformação de vida.

Começar algum tipo de terapia ou consultar um profissional da Psicologia também é muito aconselhável.

A partir de hoje, ao ler esse texto, busque se observar mais. O que tem se repetido na sua vida e tem lhe feito sofrer em demasia? O que você tem negligenciado? Você tem se fixado em algo que goste ou que faça bem como uma forma de fuga daquilo que te faz sofrer? Esses são questionamentos muito fortes e impactantes! Se conheça! Não tenha medo de adentrar nas suas sombras! Mergulhe fundo nelas que desta forma, a lei da aceitação começará a trabalhar a seu favor, lhe devolvendo o equilíbrio que você tanto almeja.

Eu acredito em você! E saiba que pode contar comigo em caso de dúvidas ou questionamentos. Fique à vontade para comentar ou me escrever. Caso queira me escrever por e-mail, o e-mail é [email protected]

Nunca esqueça: “O que negas te submete. O que aceitas te transforma.”

Imagem de capa:FCSCAFEINE/shutterstock

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



Isaias Costa
Bacharel em Física. Mestre em Engenharia Mecânica e Psicanalista clínico. Trabalha como professor de Física e Matemática, mas não deixa de alimentar o seu lado das Humanas estudando a mente humana e seus mistérios, ouvindo seus pacientes e compartilhando conhecimentos em seu blog "Para além do agora", no qual escreve desde 2012.

COMENTÁRIOS