O dia em que Keanu Reeves arriscou a própria carreira por ser recusar a insultar uma mulher

Esta história só reforça o que já sabíamos: Keanu Reeves é um verdadeiro príncipe e a internet não está errada em cair de amores por ele.

REDAÇÃO CONTI outra

Ascender em Hollywood é o sonho dourado de muitos jovens atores. Mas, como bem sabemos, a disputa por um lugar ao sol na indústria cinematográfica mais lucrativa do mundo é extremamente acirrada. Muitas vezes, o sonhado combo “talento, beleza e carisma” não é o suficiente para fazer com que alguém decole na profissão. Muitos profissionais incrivelmente talentosos passam a vida tentando uma oportunidade de mostrar do que são capazes, sem nunca serem notados. E se engana quem pensa que os desafios acabam quando alguém é finalmente alçado ao estrelato, pelo contrário, parecem apenas ter começado. Conseguir bons papéis é uma luta constante na carreira de um ator ou de uma atriz. É preciso manter-se em evidência para ser lembrado pelos diretores e pelos estúdios, cuidar da própria aparência como quem cuida de um tesouro e, acima de tudo, manter boas relações com o pessoal da indústria. Quando um profissional ganha má fama nos bastidores e entra para a lista negra de um renomado diretor de cinema, pode colocar em risco toda a sua carreira.

Por todas essas dificuldades envolvidas no processo de construir uma carreira sólida em Hollywood, sempre foi visto com naturalidade o fato de muitos atores e atrizes terem que às vezes engolir o próprio orgulho e passar por cima dos seus princípios para evitar atrito com nomes poderosos da indústria. Esta história, entretanto, é sobre alguém que decidiu que nada era mais importante do que orgulhar-se das próprias atitude. O hoje astro de primeira grandeza Keanu Reeves, um dia arriscou a própria carreira por se recusar a insultar uma mulher, como sugeria o seu diretor de cena.

Como tudo aconteceu

Em entrevista ao jornal The Sunday Times, a atriz Winona Ryder revelou um fato curioso sobre os bastidores do longa-metragem “Drácula de Bram Stoker”, de 1992. Em uma das cenas do filme, Elizabeth, sua personagem, deveria chorar ao ver Drácula se transformar em uma pilha de ratos.

Com apenas 19 anos de idade na época, a atriz não estava conseguindo transmitir a emoção que a sequência pedia, então o diretor do filme, o renomado Francis Ford Coppola, pediu aos membros da equipe, incluindo os atores, que começassem a insultar a atriz para que ela viesse às lágrimas… A experiência, segundo Winona, foi traumática.

A atriz conta, entretanto, que enquanto a maioria dos atores aceitou o pedido do diretor sem titubear, um deles se recusou a promover os insultos, apesar da insistência de Copolla, foram Keanu Reeves e Anthony Hopkins. Esta situação selou uma sincera e duradoura a amizade entre os famosos, que perdura até hoje.

Keanu Reeves, que na época ainda estava iniciando sua carreira, sabia que sua atitude diante de um diretor de cinema já consagrado poderia ter prejudicado seu emprego.

Ainda assim, preferiu seguir sua consciência e arriscar seu trabalho a humilhar uma colega.

***

Redação CONTI outra. Com informações de Vix

Imagem de capa: KEVIN WINTER/GETTY IMAGES

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.