Nuvem de gafanhotos na fronteira com Brasil faz Argentina emitir alerta

Com cerca de 40 milhões de insetos avançando pela região que faz fronteira com o Rio Grande do Sul, a Argentina publicou nesta segunda-feira (22) um mapa com alerta da praga.

REDAÇÃO CONTI outra

A Argentina emitiu um comunicado nesta segunda-feira (23) alertando sobre o perigo do aparecimento de uma nuvem de gafanhotos na região que faz fronteira com o Rio Grande do Sul.

O comunicado, feito pelo Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar (Senasa) da Argentina, inclui um mapa com alerta da praga.

“Deve-se lembrar que em aproximadamente um quilômetro quadrado, até 40 milhões de insetos podem ser mobilizados, comendo pastagens equivalentes ao que 2 mil vacas podem consumir em um dia”, alertou o órgão.

De acordo com o alerta, os insetos entraram no país pelo Paraguai no último fim de semana. O governo da argentina está realizando monitoramento da região e os produtores rurais foram orientados a relatar a presença da praga em suas lavouras.

O governo argentino fez questão de esclarecer que, mesmo que as imagens da nuvem de gafanhotos sejam bastante impressionantes, os insetos não fazem mal às pessoas e podem causar danos apenas às plantações. “As nuvens de gafanhotos podem passar por comunas, vilas ou cidades, mas não causam danos diretos aos seres humanos. Podem causar danos às culturas e aos pastos, mas não constituem um risco para as pessoas”, diz o comunicado.

O assunto gerou grande repercussão nas redes sociais, com muitos internautas encontrando ligação deste ocorrido com uma das dez pragas do Egito, descritas no livro de êxodo, na Bíblia.

***
Imagem de capa: Governo de Córdoba/Reprodução

Redação CONTI outra. Com informações de Correio Brasiliense

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.