Não se despedace para ficar poupando todo mundo

Seja sincero, mas não ofensivo. Seja gentil, mas não falso. Seja assertivo, mas não agressivo. Seja bom, mas não um banana.

Marcel Camargo

Crescemos ouvindo que não devemos ferir os outros e que precisamos ser pessoas boas. No entanto, também nos ensinam a pensar em nós mesmos, a nos resguardáramos do que machuca. Por essa razão, por esse temor de que nos tornemos egoístas, muitas vezes nos esquecemos de nós mesmos, enquanto cuidamos tão somente da forma como nos comportamos com as pessoas.

Mas e nós nessa história? Nossos sentimentos, nossos sonhos, nossas metas e planos? E quando é o outro que não se comporta bem conosco? Ficamos tão preocupados na forma como tratamos as pessoas, que acabamos negligenciando o autocuidado, o autoconhecimento, o amor próprio. Sim, é imprescindível nos colocarmos no lugar do outro, porém, é essencial que o outro também se coloque no nosso lugar. Ninguém consegue caminhar tranquilo com o próprio peso e o peso do outro sobre si.

Analise se a pessoa realmente merece ser poupada da verdade. Às vezes, algumas pessoas não têm condições de ficar sabendo de alguma coisa ruim que esteja ocorrendo, por conta de sua saúde, ou, por exemplo, pela idade avançada. Porém, em condições normais, todo mundo tem o direito à verdade, porque senão uma das partes carregará sozinha toda preocupação, todo nervosismo, sem dividir. E isso adoece, pois ninguém é uma máquina, ninguém tem o poder de resolver tudo sozinho.

Poupar-se é a ordem do dia, em todas as situações. A verdade é que você não precisa ficar ouvindo desaforo nessa vida. Você não merece conviver com quem machuca, com quem fere e só pensa no próprio umbigo. Você não é obrigado a passar por humilhação alguma, para ficar chorando e molhando o travesseiro até que adormeça. Você tem que saber o que merece e o que não aceita. Deixe bem claro quais são os limites de sua dignidade. Para todos, todos os dias.

Seja compreensivo, mas não condescendente. Seja sincero, mas não ofensivo. Seja gentil, mas não falso. Seja assertivo, mas não agressivo. Seja bom, mas não um banana. Coloque-se no lugar do outro, mas, sobretudo, coloque o outro no lugar dele. Não se despedace para ficar poupando todo mundo. Tem gente que não merece.

***
Imagem de capa meramente ilustrativa: cena da série “O Gambito da Rainha”

Texto originalmente publicado em Prof Marcel Camargo

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Marcel Camargo
"Escrever é como compartilhar olhares, tão vital quanto respirar". É colunista da CONTI outra desde outubro de 2015.