Não prometa quando estiver feliz, não responda quando estiver com raiva, não decidas quando estiver triste

“Um sábio disse: não prometa quando estiver feliz, não responda quando estiver com raiva, não decidas quando estiver triste.”

Isaias Costa

Li essa linda frase no Instagram e fiquei refletindo no quanto ela é profunda e verdadeira. São três sentimentos que comumente nos trazem arrependimentos: felicidade, raiva e tristeza.

Talvez você se questione: Como assim a felicidade pode gerar arrependimento? Sabe o que digo a você? Pode sim! Depende da ocasião. É claro que de modo geral a felicidade nos traz bem estar, saúde, gratidão, presença etc. Porém, o que foi destacado nessa frase é a felicidade eufórica, que é mais comum do que se pensa.

Inclusive eu sempre faço um trocadinho com a palavra euforia. Perceba! EUFORIA = EU + FORA = eu fora do meu centro. Toda pessoa que está na euforia está dominada pelas emoções e não está equilibrando isso com a razão, dessa forma o resultado muitas vezes pode ser negativo.

O que seria o ideal para tudo na vida é a SERENIDADE. A raiz dessa palavra é simples e bela. Ela significa: “aquilo que vem do ser”. E o ser é o que há de mais essencial em nós. É algo tão vasto e bonito que tem uma área da Filosofia que se debruça e aprofunda apenas nisso. A Ontologia. Não é interessante?

A serenidade me leva a equilibrar razão e a emoção. Com isso eu evito a euforia, consequentemente não prometerei nada que não poderei cumprir. É simples assim! Prometer é algo sério. Está ligado com a nossa REPUTAÇÃO. Se eu prometo algo e não cumpro, além de despertar raiva nas pessoas, eu passarei a ser visto como alguém que não se pode confiar, dessa forma, minha reputação fica comprometida.

Está tudo interligado. A palavra reputação vem do latim e significa “refletir, calcular, pensar”. Ou seja, eu passo tudo que vou fazer pelo crivo da razão. Se formos dominados apenas pelas emoções certamente isso causará sofrimento. Portanto, retomo esse conceito chave, equilíbrio entre razão e emoção é fundamental.

Se eu responder alguém estando com raiva muito provavelmente vou feri-la com minhas palavras. E sabe de uma coisa interessante? Estudos comprovam que normalmente sentimos raiva quando alguém faz algo, diz algo, pense algo ou se comporta de forma diferente daquilo que achamos ser o certo. A raiva está justamente em querer, mesmo que inconscientemente, que o outro mude. E vem cá! Você acha que isso é possível de ser feito na marra? Alimentando sentimentos autodestrutivos? Não! Simplesmente não!

Por fim, não decidir estando triste porque a tristeza nos tira totalmente do nosso centro. Nossa razão está viajando em outros mundos no momento em que estamos tristes. Todos nós sabemos que nada dura pra sempre, nem a felicidade nem a tristeza, e é ótimo que seja assim, pois mostra o quanto a vida é dinâmica. Se você estiver triste, tenha paciência. Repouse, descanse, fique perto das pessoas que você ama! Quando menos esperar ela terá passado e você estará mais lúcido (lucidez vem de luz! Que palavra linda essa não acha?). Nessa hora, com lucidez você poderá decidir de forma assertiva e a possibilidade de se arrepender da decisão será infinitamente menor!

Serenidade! Essa é a palavra que resume todo esse texto. Com ela você terá essa sabedoria para não ser dominado pela felicidade eufórica, pela raiva ou pela tristeza…

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Isaias Costa
Bacharel em Física. Mestre em Engenharia Mecânica e Psicanalista clínico. Trabalha como professor particular de Física e Matemática e nas consultas com Psicanálise em Fortaleza. Também escreve no seu blog "Para além do agora" compartilhando conteúdos voltados para o autoconhecimento e evolução pessoal. Contato: [email protected]