Não foi um pé na bunda, foi um livramento.

A gente acha que está perdendo muito com a partida de alguém, quando estamos de fato libertos de algo que não nos faria bem.

Thamilly Rozendo

Você pode até ver com esses olhos. Mas não foi. Algumas perdas são, na verdade, livramento. A gente acha que está perdendo muito com a partida de alguém, quando estamos de fato libertos de algo que não nos faria bem. De algo que não era sincero, verdadeiro e que tinha pouco muito pouco para nos oferecer. Sabe quando você conhece alguém que, aparentemente, parece ser alguém legal? Aquela pessoa que veste uma máscara só pra conquistar? E conquista? A gente se engana, e com a partida se sente ainda mais enganado porque no fundo a gente tinha esperanças de estar errado. E então vem aquele sentimento de sempre se enganar com as pessoas, de não conseguir encontrar alguém legal. Que valha a pena.

Não sei como está as suas desilusões amorosas, eu só sei que você é muito mais do que esse adeus que você ganhou. Não pense que foi perda porque não foi. Você pode até se sentir assim e eu entendo. Mas, não duvide do seu valor. Pessoas intensas demais não são para todo mundo. A maioria se acomoda com a “mornidão”, gosta do mais ou menos e adora joguinhos de interesse. Essa sua maturidade e a forma serena que encara as relações te afasta de quem não está preparado(a) para ter alguém tão incrível como você. Pense nisso, nem tudo é perda. Às vezes é só a vida te livrando de problemas.

***

Imagem de capa: Pexels

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Thamilly Rozendo
Estudante de psicologia, apaixonada por artes, música e poesia. Não dispensa um sorvete e adora um pastel de feira com muito requeijão, mesmo sendo intolerante a lactose. Tem pavor de borboletas, principalmente as no estômago.