Mulheres venezianas estão usando as gôndolas para entregar comida.

Normalmente, a organização dá aulas de gondoleiro aos turistas da cidade, mas nessa situação, o foco teve que se tornar outro e agora elas entregam comida a idosos e a famílias necessitadas que não podem sair de casa.

Ana Carolina Conti Cenciani

Agora que a ordem de ficar em casa e em quarentena é praticamente uma realidade global estamos começando a ver como as pessoas se adaptaram em cada lugar do mundo. Em alguns países, isso teve consequências terríveis: os países mais calorosos e dedicados à vida social, que frequentemente usam o contato físico como demonstração de sentimentos foram os que mais perceberam o impacto do isolamento social.

Tudo está sendo adaptado a essa nova forma de viver, inclusive as tradições antigas -que geralmente são marcas da cultura de respectivos lugares- que conseguiram se adequar às necessidades de um mundo que vive agora uma pandemia. Em Viena, por exemplo, as carruagens que há décadas servem para encantar os turistas, agora se tornaram meios para o transporte de alimentos e ajudam aqueles que não podem deixar suas casas.

Algo semelhante está ocorrendo numa das cidades mais românticas desse mundo: Veneza, na Itália. Antes, a cidade era visitada diariamente por milhares de milhares de turistas devido à sua beleza quase irreal, porém, infelizmente a cidade italiana foi terrivelmente atingida pelo coronavírus. A cidade praticamente subsiste ao turismo, a indústria que caiu de joelhos desde o início da crise da saúde.

A Row Venice é uma organização feminina sem fins lucrativos dedicada à preservação das técnicas tradicionais de gondoleiros venezianos. Normalmente, a organização dá aulas de gondoleiro aos turistas da cidade, mas nessa situação, o foco teve que se tornar outro e agora elas entregam comida a idosos e a famílias necessitadas que não podem sair de casa.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Row Venice (@rowvenice) em

A Row Venice fez parceria com produtores e empresas locais para ajudá-los a fazer as entregas em toda a cidade. Com máscaras e luvas, recolhem pedidos e navegam pelos canais sinuosos de Veneza para levar os mantimentos às casa ou pontos de encontro. Os venezianos podem fazer as suas encomendas online e esperar para que sejam entregues, sem terem de se colocar em risco saindo de casa.

Com informações de UPSOCL

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 19 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui notícias que são boas de se ler.