Autoridades do condado de Thurston, em Washington, nos Estados Unidos, divulgaram recentemente um caso assombroso. Uma mulher teria sido enterrada viva por seu ex-marido, mas conseguido escapar da cova rasa que ele fez em uma área de floresta. O caso ganhou imensa repercussão na impresa norte-americana.

De acordo com o canal de TV NBC News, um xerife do condado encontrou Young Sook An, de 42 anos, escondida atrás de um galpão no jardim de uma casa, pouco antes da 1h (horário local) de segunda-feira (17). Ela estava nervosa e imediatamente pediu socorro. “Meu ex-marido está tentando me matar”, gritou a mulher.

Documentos apresentados ao Tribunal Superior do Condado detalham que Young Sook An estava suja, “tinha fita adesiva enrolada no pescoço, na parte inferior do rosto e nos tornozelos”, além de “hematomas extensos nas pernas, braços e cabeça”.

O ex-marido, Chae Kyong An, de 53 anos, foi acusado de tentativa de assassinato em primeiro grau, sequestro em primeiro grau e agressão em primeiro grau.

Após realizar buscas na região, a polícia de Lacey localizou Chae na terça-feira (18), como informa o jornal local Joltnews. Segundo o Ministério Público do condado de Thurston, o acusado foi mantido preso sem direito a fiança.

Young disse em depoimento que foi atacada em casa, após ter uma conversa com o ex-marido sobre o divórcio em andamento. Então, Kyong An amarrou as mãos da vítima atrás das costas com fita adesiva, prendendo também os olhos, coxas e tornozelos.

Ela teria conseguido ligar para o número de emergência com seu Apple Watch, quando o ex-marido marido saiu do quarto. Em seguida, ele a arrastou para a garagem e quebrou o aparelho com um martelo, segundo o relatório.

Young relatou à polícia que foi levada em uma van para algum lugar. Ela disse que podia ouvi-lo cavando a terra. Então, o homem a pôs para fora do veículo, no chão, e a esfaqueou no peito.

“Ela foi drogada e colocada no chão. Ela podia ouvir o marido andando ao redor do buraco e sentiu a terra sendo colocada em cima dela”, diz o relatório policial apresentado à Justiça.

Ao se contorcer dentro da cova para tentar respirar, a mulher conseguiu retirar a terra de seu rosto e suspeitou que estivesse em um buraco raso.

Assim que escureceu, ela conseguiu se livrar da fita adesiva, saiu da cova e correu por cerca de 30 minutos, até encontrar uma casa, onde foi ajudada por um morador, que acionou a polícia

Young Sook An completou no depoimento que o ex-marido já ahavia ameaçado matá-la antes. Ele teria dito que “preferiria matá-la a dar a ela o dinheiro da aposentadoria”.

A polícia obteve o vídeo de câmeras de seguranças de casas vizinhas, onde a van de Kyong An aparece estacionada na casa e depois saindo do bairro, em alta velocidade.

Kyong An ainda não tem prazo para ser julgado, disseram os promotores. Não houve manifestação de seu advogado à imprensa.

***
Redação Conti Outra, com informações de UOL.
Fotos: Tribunal Superior do Condado/divulgação.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.