Mulher é encontrada vivendo em área selvagem depois de passar 5 meses desaparecida

Uma mulher foi encontrada viva em Diamond Fork Canyon, nos Estados Unidos, depois de ficar desaparecida por cinco meses.

CONTI outra

Uma mulher foi encontrada viva em Diamond Fork Canyon, nos Estados Unidos, depois de ficar desaparecida por cinco meses.

Em 25 de novembro de 2020, os oficiais do Serviço Florestal dos EUA encontraram um carro no estacionamento de um acampamento na área Diamond Fork de Spanish Fork Canyon.

Junto com o carro, os funcionários encontraram equipamentos de camping e informações que os levaram a identificar a pessoa que estava acampando ali.

Uma busca na área foi realizada pelos detetives do Gabinete do Xerife do Condado de Utah e por uma equipe de Busca e Resgate, mas ninguém foi encontrado.

A polícia tinha informações telefônicas que levaram os investigadores a acreditar que ela poderia estar no Colorado, disse um comunicado do Conbdado de Utah.

A Polícia então apreendeu o carro da mulher e o equipamento de acampamento, pois a polícia acreditou que eles haviam sido abandonados.

Nos meses seguintes, a polícia tentou identificar e entrar em contato com a família da mulher, mas não teve sucesso.

Os deputados então contataram os colegas de trabalho da mulher e receberam informações que sugeriam que ela lutava contra sua saúde mental, disse a polícia em um comunicado à imprensa.

Então, em 2 de maio, um sargento da polícia voltou a Diamond Fork com uma organização de busca aérea sem fins lucrativos na tentativa de encontrar evidências que sugerissem que a mulher ainda poderia estar na área.

A organização de busca aérea implantou um drone para procurar evidências, mas o drone caiu. A polícia e o piloto do drone começaram então a procurar o drone.

Enquanto procuravam o drone, a polícia disse que o sargento e o piloto do drone avistaram uma barraca nas proximidades.

Segundo nota da imprensa, naquele momento, o zíper da tenda se abriu e apareceu a mulher de 47 anos que estava desaparecida desde novembro de 2020.

A polícia de Utah disse que a mulher decidiu de boa vontade permanecer na área desde novembro de 2020. A mulher disse aos oficiais de busca e resgate que ela buscava musgo e grama para sobreviver e tinha acesso ao abastecimento de água através de um rio próximo, disse um comunicado à imprensa.

Depois que a mulher foi encontrada, os deputados a levaram a um hospital local para uma avaliação de saúde mental.

Em um comunicado à imprensa, a polícia de Utah enfatizou que a mulher não infringiu a lei, dizendo “Mas queremos deixar claro que embora muitas pessoas possam escolher não viver nas circunstâncias e condições que esta mulher viveu, ela não fez nada contra a lei. E no futuro, ela pode escolher voltar para a mesma área. ”

A polícia de Utha disse que os recursos foram colocados à disposição da mulher se ela decidisse usá-los.

***
Redação Conti Outra, com informações de ABC.
Foto destacada: Reprodução/ABC.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.