Mulher alega ter engravidado com uma rajada de vento na Indonésia. A polícia investiga o caso

A história contada por esta jovem de 25 anos teve forte impacto em sua cidade e a polícia local começou a investigar para esclarecer o assunto.

CONTI outra

Evitar comparar as notícias seguintes com a história da Virgem Maria é praticamente impossível. Segundo a bíblia, apenas uma vez na humanidade uma mulher engravidou sem ter tido relações sexuais, mas a jovem Siti Zainah garante que algo semelhante teria acontecido com ela, mas não de forma espiritual.

Aos 25 anos, Siti deu à luz seu segundo filho, só que não seria produto de nenhuma relação amorosa, mas de uma rajada de vento que a atingiu após uma sessão de oração. Segundo a menina que mora em Cianjur, Indonésia, depois de uma hora daquele estranho acontecimento, ela deu à luz.

Siti foi ao hospital mais próximo e uma vez na sala de parto, ela disse aos médicos que quando ela terminou suas orações naquela tarde, uma rajada de vento entrou em seus órgãos genitais e ela começou a sentir seu estômago inchar.

Em questão de 15 minutos, a mulher começou a se sentir mal e foi ao pronto-socorro. Os médicos ficaram um tanto confusos porque pensaram que era óbvio que ela estava indo porque precisava dar à luz, mas Siti dizia que não tinha ideia de nada.

O bebê nasceu saudável e sem complicações. Sua história rapidamente se espalhou pela cidade, até mesmo pelas autoridades, que a visitaram. Todos ficaram perplexos com o que a mulher dizia, enquanto o diretor do hospital, Eman Sulaeman, comentava que poderia ser o caso de uma gravidez enigmática que ocorre quando a mulher não reconhece que está grávida até a hora do parto.

A polícia, por sua vez, iniciou uma investigação para esclarecer os fatos a fim de acabar com os rumores que estão gerando notícias confusas no país sobre esta gravidez considerada antinatural.

A menina é a segunda gravidez de Siti. O primeiro filho é fruto da relação com o ex-companheiro, de quem se separou há quatro meses. Até agora, as suspeitas giram em torno deste namoro, mas o pano de fundo ainda é muito preliminar para tirar conclusões.

Por sua vez, a mulher continua a defender a sua história. O caso dela ocorreu algum tempo depois que o chefe da proteção infantil da Indonésia, Sitti Hikmawatty, disse que as mulheres provavelmente engravidariam se compartilhassem uma piscina com homens com “esperma forte”, algo que também causou muita comoção.

***
Redação Conti Outra, com informações de UPSOCL.
Foto destacada: Tribunnews Bogor.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.