Morador de rua desmaia e é protegido por seus cães: ‘Ninguém podia tocá-lo’

‘Ninguém podia tocá-lo’

REDAÇÃO CONTI outra

Este homem vive às margens da sociedade, exposto aos mais diversos riscos. Felizmente ele pode contar com um grupo de amigos que nunca o abandonam. Em uma situação em que o homem estava completamente vulnerável, eles agiram como verdadeiros anjos da guarda!

Definitivamente, não há lealdade como a dos cães. São sempre eles os que permanecem ao seu lado nos melhores e nos piores momentos, com igual dedicação e carinho. Um dos melhores exemplos disso é a emocionante história de amizade e companheirismo entre um homem que vive em situação de rua e seus cães. Em um momento difícil de sua vida, seus fiéis amigos de quatro patas atuaram como verdadeiros anjos da guarda.

Morando na rua e passando por algumas das situações mais difíceis que alguém pode viver, o homem costuma buscar consolo no álcool. O alcoolismo, como sabemos, é um problema seríssimo e geralmente acarrea outros problemas. Mas, independentemente de seu vício e de como os outros o julgavam, um bando de cachorros sem teto se tornaram seus leais companheiros.

Certo dia, o homem bebeu bebeu demais e, ao atravessar a rua, perdeu os sentidos desfalecendo em meio ao trânsito da cidade. Os carros e caminhões tiveram dificuldade em passar por ele. Foi aí que algumas pessoas resolveram tentar levantá-lo para evitar que ele se machucasse. Mas seus cães, como seres inocentes que são, confundiram a atitude com uma ameaça ao seu amigo. Eles não gostaram nada de ver estranhos tocando o corpo inerte do seu humano favorito.

As pessoas que circulam pela região relataram que o homem sempre alimentava os cães antes mesmo de se alimentar. Ele punha o bem-estar dos cães acima do seu em qualquer situação. Ele até dormia junto com o bando, criando um vínculo ainda mais poderoso.
Os cachorros ficaram ao redor de seu companheiro desmaiado, como se o estivessem guardando, e latiam e rosnavam para todos que tentavam se aproximar. Eles não morderam ninguém e nem foram desnecessariamente agressivos. Para eles, seu humano estava doente e era seu trabalho garantir que ele fosse protegido.


Os cachorrinhos fizeram guarda até o morador de rua recobrar a consciência. Então, quando ele estava pronto para se levantar por conta própria, os animais puxaram sua camisa e tentaram ajudá-lo a ir até a calçada. Ele caminhou até o meio-fio e sentou-se. Os cães finalmente podiam relaxar um pouco e se sentaram ao lado dele. Tem amor mais lindo nesse mundo?

O compromisso deles não diminuiu nem um pouco durante todo o período de fraqueza do sem teto. Que exemplo!

***

Redação Conti outra. Com informações de Portal do Animal.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.