Mente vazia é oficina do diabo?

Há um ditado que sempre tive certa dificuldade para entender e acolher. Até hoje fico me questionando sobre a sua veracidade. Infelizmente, esse ditado é considerado verdadeiro para bilhões de seres humanos, principalmente os ocidentais.

O ditado é: “Mente vazia é oficina do diabo”. Será? Por quê? Vamos refletir sobre isso!?

Para embasar a reflexão, compartilho algumas sábias palavras do místico oriental Osho:

“A palavra inglesa empty (vazio) deriva de uma raiz que significa “de folga”, desocupado. É uma palavra bonita se você for até a raiz. A raiz é muito fecunda: ela significa de folga, desocupado. Sempre que você estiver desocupado, de folga, você estará vazio. E lembre-se, o provérbio que diz que a mente vazia é um instrumento do diabo é simplesmente um absurdo. Exatamente o oposto da verdade: a mente ocupada é um instrumento do diabo!

A mente vazia é um instrumento de Deus, não do diabo. Mas você tem que entender o que eu quero dizer com “vazio” – de folga, relaxado, não tenso, sem movimento, sem desejar, sem ir a lugar nenhum, apenas ficando aqui, inteiramente aqui.

Uma mente vazia é uma presença pura. E tudo é possível na presença pura, porque toda a presença deriva da presença pura.

Essas árvores crescem a partir dessa presença pura, essas estrelas nascem dessa presença pura; nós estamos aqui – todos os Budas saíram dessa presença pura. Nessa presença pura você está em Deus, você é Deus. Ocupado, você cai; ocupado você tem de ser expelido do Jardim do Éden. Desocupado, você está de volta ao lar.

Quando a mente não está ocupada com a realidade – com as coisas, com os pensamentos – então existe aquilo que é. E aquilo que é, é a verdade. Apenas no vazio, existe uma reunião, uma fusão. Apenas no vazio você se abre para a verdade e a verdade entra em você. Apenas no vazio você se torna fecundo com a verdade.”

Osho

*****

O grande problema é que quase ninguém entende o real significado da palavra vazio, que tão bem o Osho explica.

Eu falei no início do texto que principalmente entre os ocidentais essa frase é considerada verdadeira. Por quê? Simples. No ocidente, mais do que no restante do mundo, não há praticamente nenhuma valorização para o lado da espiritualidade, mas para o consumismo e o materialismo.

Posso estar enganado, mas acredito que o ser humano que inventou esse ditado seja provavelmente alguém dono de muitos bens materiais, com algum posto de chefia, alguém que tinha poder para mandar nos outros, alguém que tinha servos. Vou explicar.

Se prestar atenção nas minhas palavras e nas do Osho, perceberá que estamos querendo lhe fazer refletir sobre LIBERDADE. Ter uma mente vazia é uma verdadeira dádiva, porque nesse estado de pura contemplação do belo, não há espaço para as preocupações imensas criadas pelo mundo materialista no qual estamos inseridos. A mente vazia é um espaço de paz, de harmonia, de felicidade.

Pense comigo! A maior parte das pessoas tem uma vida atribulada, a agenda lotada até a última gota de sangue, milhares de compromissos, passam o dia inteiro no trabalho etc. e quando chegam em casa. Exaustas! O que encontram? A TV ou a internet, repletas de propagandas de “compre isso, compre aquilo”, e um montão de sites de comédia, para você rir, “espairecer a mente”, e se preparar para o dia seguinte.

Veja só! Sua mente está cheia, e ao chegar em casa. Ao invés de esvaziá-la, você a enche ainda mais com um monte de baboseira! A quem isso interessa? Acho que nem preciso responder, não é mesmo?

Por que até hoje quase todos acreditam nesse ditado? Porque nós, o nosso cérebro, e toda a nossa vida, já se tornou tão condicioada, que se torna realmente difícil compreender a mensagem verdadeira.

Com apenas alguns poucos questionamentos é possível entender que este ditado é “papo furado”. Por exemplo: “Por que eu tenho que trabalhar 8h por dia? Por que eu tenho que cumprir todas as ordens do meu chefe? Por que eu não posso tirar um dia de folga no meio da semana?

E há outros tipos de questionamento também: “Por que quando estou “de bobeira” em casa eu ligo a TV? Por que quando a casa está silenciosa eu tenho que ligar o som, ou tenho que ver minhas mensagens no whatsapp?”.

Ou ainda: “Por que nas práticas religiosas eu tenho que estar em uma comunidade, com várias pessoas, rezando ou louvando, sempre com a boca aberta? Por que eu tenho que estar sempre falando? Por que eu tenho que ir pra missa ouvir o padre falar por uma hora? Ou ao culto ouvir o pastor por uma hora?”

Por que eu não posso parar, descansar, não fazer absolutamente nada? Ficar só comigo mesmo? Por que tanta necessidade de falar? De trabalhar? De se esforçar?

Percebe? Tudo na nossa sociedade não contribue com a quietude, com a pacificação, com o silêncio, com a contemplação.

O que fazer Isaias? Como sair dessa teia?

Só há uma maneira. Você precisa parar. Respirar. Buscar alguma prática meditativa. E conseguindo ficar mais sereno, depois você vai estudar, buscar entender como se comportavam os grandes mestres da humanidade.

O Osho fala no seu texto sobre Buda. Ele era um ser iluminado. Ele compreendia o vazio. O silêncio era um tesouro na vida dele.

Esse caminho é contrário ao que nossa sociedade impõe goela abaixo para nós. Tudo a nossa volta está voltado para o material, para o “compre!”. Porém, a maior conquista que todos nós podemos fazer é a do nosso espírito, crescermos interiormente.

Fazendo isso, você se pacificará. Perceberá depois de um tempo, o quanto estava perdendo um tempo precioso com tolices, com bobeiras.

Isso não se ensina em parte alguma por aqui. Sabe por quê? Por que se cada vez mais pessoas acolherem essa mensagem, as empresas vão quebrar, os trabalhos massacrantes e escravizantes deixarão de existir. E uma nova sociedade muito mais consciente do essencial, daquilo que engrandece o espírito, começará a surgir.

Essa nova sociedade não interessa nenhum pouco aos grandes empresários. Eles querem dinheiro! Eles querem lucro. Eles querem crescer colocando mão de obra barata em suas empresas.

Se você acolher o que estou dizendo aqui e buscar esse caminho, chegará o ponto em que você dirá: “Chega!”. Não vou mais trabalhar para enriquecer o fulaninho (meu patrão)”.

Nesse momento você começará a se esvaziar, e uma nova vida começará. Uma vida verdadeira, repleta de paz e felicidade.

Relaxe! Dá um pouco de medo no começo. Mas passa! Pode ter certeza que passa. Falo isso por causa da minha própria experiência.

Tudo que coloquei nesse texto são questionamentos e reflexões que fiz e alguns levei muitos anos para esclarecer.

Portanto! Pense com carinho nessas palavras. São muitas informações, e coisas que talvez você nunca tenha lido antes. Agora é com você! Torço pela sua alegria e felicidade…

Imagem de capa: pathdoc/shutterstock

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Isaias Costa
Bacharel em Física. Mestre em Engenharia Mecânica e Psicanalista clínico. Trabalha como professor de Física e Matemática, mas não deixa de alimentar o seu lado das Humanas estudando a mente humana e seus mistérios, ouvindo seus pacientes e compartilhando conhecimentos em seu blog "Para além do agora", no qual escreve desde 2012.