Em todas as guerras, muito se perde, mas quem sofre as consequências mais duras são os inocentes. Nesses conflitos, muitas pessoas choram a perda de um ou mais entes queridos, ou então convivem com o terror de saber que, a qualquer momento, podem ser as próximas vítimas de um conflito que, na maioria das vezes, diz muito pouco sobre os próprios interesses ou as próprias necessidades.

Mas não somente os seres-humanos conhecem de perto o horror em uma guerra. Muitos animais são deixados para trás e acabam convivendo com o risco de serem atingidos por bombas ou tiros, ou mesmo de morrerem de fome e sede. É claro que o contrário também acontece. Há pessoas de espírito nobre que se recusam a abandonar seus animais de estimação, mesmo em meio ao risco iminente de serem vitimados por tropas inimigas.

Desde que a Rússia invadiu a Ucrânia, a mídia já relatou inúmeras histórias comoventes sobre pessoas que demonstram da maneira mais surpreendente e corajosa o seu amor pelos animais. Um exemplo recente é o caso do socorrista italiano que está disposto a perder a vida na Ucrânia enquanto cuida dos animais que resgatou.

O caso mais recente desse tipo é o de um menino ucraniano que havia perdido o seu gatinho de estimação enquanto atravessava a fronteira da Ucrânia para a Polônia. O gatinho, porém, foi encontrado e devolvido ao dono. Assim que teve de novo nos braços o seu amado amiguinho de quatro patas, o menino não conteve a emoção. Ele foi fotografado às lágrimas enquanto abraça o gatinho com força. A história foi compartilhada na página Zoopatrulkyiv.

A Zoopatrulkyiv é uma associação que está trabalhando para libertar os gatos presos nos apartamentos bombardeados ao redor da capital ucraniana.

Veja a foto do emocionante reencontro:

***
Redação Conti Outra, com informações de Solo Gatos.
Fotos: Reprodução.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.