Menino afegão de 5 anos ganha uma perna protética e dança em comemoração

O menino afegão Ahmad Sayed Rahman, de 5 anos, que vem conquistando corações desde que as redes sociais foram tomadas por um vídeo no qual ele aparece celebrando sua nova perna protética em um quarto de hospital em Cabul. Avisamos desde já que vai ser quase impossível não abrir um sorriso ao ler esta história e ao ver este vídeo.

REDAÇÃO CONTI outra

A alegria é mesmo uma virtude daqueles que sabem celebrar suas vitórias. E quem parece saber bem disso, mesmo com pouca idade, é o menino afegão Ahmad Sayed Rahman, de 5 anos, que vem conquistando corações desde que as redes sociais foram tomadas por um vídeo no qual ele aparece celebrando sua nova perna protética em um quarto de hospital em Cabul. Avisamos desde já que vai ser quase impossível não abrir um sorriso ao ler esta história e ao ver este vídeo.

Rayessa, a mãe do menino, contou que Ahmad e sua irmã foram atingidos durante um tiroteio e ambos ficaram gravemente feridos. Ahmad teve a perna amputada abaixo do joelho quando tinha apenas oito meses de idade.

Desde que ganhou a prótese, Ahmed é só alegria. “Ele está sempre dançando e mostrando como está feliz por ter uma perna artificial.”, disse Rayessa a repórteres no centro ortopédico da Cruz Vermelha na capital afegã na terça-feira.

Ahmad é um paciente de longa data, disse seu fisioterapeuta Semeen Sarwari. “Estou muito feliz por ele ter recebido essa perna artificial e que agora ele pode ser independente”, acrescentou ela, enquanto Ahmad dançava ao som de um celular.

Ahmad e seus pais, que são trabalhadores rurais, vêm da província de Logar, ao sul de Cabul, onde as lutas entre o Talibã e o exército afegão apoiado pelos EUA são frequentes.

Mais de 500 mil pessoas já assistiram ao vídeo de Ahmad no Twitter, um dia depois de ter sido postado. O menino rapidamente se tornou um estrela, virou atração nos noticiários locais e até já mostrou suas habilidades na dança para os repórteres em Cabul.

O vídeo de Ahmad foi filmado por Mulkara Rahimi, outra fisioterapeuta no centro da Cruz Vermelha. Em seus 10 anos de atividade profissional, ela viu muitos pacientes como ele.

“Ele estava tão feliz com a nova prótese que eu só queria registrar sua felicidade. Eu amo meu trabalho.”, disse Mulkara.

Redação CONTI outra. Com informações de EXTRA

Capa: Reprodução Youtube

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.